As mensagens que tenho recebido são lições de Amor e Humildade recebidas com respeito e fé como é ensinado na Doutrina Espirita. São apelos constantes à nossa consciência para que todos os dias façamos o nosso melhor, certos de que colheremos o que hoje plantarmos...
Cada um de nós é responsável pelo rumo da sua própria vida, no entanto, nunca estamos sozinhos, nossos Guias / Anjos da Guarda são queridos Amigos, Companheiros e Irmãos mais velhos a zelar por nós, sem nunca esquecer que o primeiro passo tem de ser o nosso...

Sou grata a Todos os que tocam a minha Vida, com todos aprendo... sejam eles que Quem forem... estejam eles Onde estiverem...
Consciente da minha pequenez, partilho-as convosco...

Este blog é uma produção independente, começou no final de 2014 e inclui também as mensagens recebidas desde 2007 por psicografia e psicodigitação desde Maio 2016 na AELA / Setúbal / Portugal - www.aela.pt / Facebook: AELA - Associação Espirita Luz e Amor.


21 de outubro de 2016

Testemunho: ..."Remorso tira a vida lentamente..." 20.10.2016


Psicodigitação recebida na AELA a 20.10.2016

Que hei de eu de fazer, falar é muito fácil, mas quando se leva uma facada nas costas, se vê o sangue a escorrer e sente a dor? Por acaso vou abraçar o gajo que me matou? Vou?  Espera aí que já lá vou!  Então não?!!   Matou-me, tirou-me a vida! Separou-me da minha família!  Deixei tudo por causa do gajo! Se o apanho… bem nem sei…   sei lá se ele já morreu… o que eu sei é que quem morreu fui eu… enfim não é bem morrer… estou aqui vivo a falar… a comunicar… pois, não morri… mas parti!!! Deixei tudo para trás…
Resultado de imagem para gota de sangue
Se eu sei o que lhe fiz a ele? Não me lembro… pois não me lembro… acho que também não devo de ter sido lá muito bonzinho, se é para falar muito honestamente… é que é difícil aceitar, que se morri assim, é porque asneirei também muito… 

No fundo eu sei, que também tenho culpas… muitas culpas, na verdade… não era “flor que se cheirasse”, mas a gente tenta sempre chorar aos corações, passar por coitadinhos, até tinha “morrido”…  mas que faço eu, continuo a fugir do traste que fui… qual família?  Vivia com um gato e até o gato saía de casa á procura de comida… de que me queixo eu?...  pena, queria apenas que tivessem pena de mim… que alguém não tivesse medo de mim e me acarinhasse… acho que é só isso que queria… que quero… quero encontrar paz… estou cansado de fugir de tudo, de todos e de mim mesmo, se calhar isso em primeiro lugar…

Na vida temos grandes ilusões, ser o maior! O mais importante, saber impor respeito! Nem que fosse á força! Meter medo!   Pois e no fim, acabasse sozinho ou numa valeta a apodrecer! Foi o que me aconteceu… bebi, provoquei, meti medo, assustei e em desespero, o outro defendeu-se… mereci tudo o que me aconteceu… e se calhar ainda mais…

Tudo o que consegui foi na base do meter medo! Se conseguir alguma coisa, for ter sitio para morar… mas sozinho… no fundo… não sabe a nada…  vociferava quando apenas queria um abraço…  que ilusão, por acaso as abelhas que fazem o mel, vão aos picos, ás pedras buscar o polén? Então que estava eu á espera?  Se nunca fui um jardim, apenas um espinheiro, como poderia esperar que alguém se chegasse a mim? Como?   Sou inteligente, mas não agi como tal!!!   Hoje olho para trás e apenas sinto vergonha…  não vivi, pensei que vivi! Talvez neste momento esteja mesmo a viver… a sentir a vida… a entender o que fiz… o que gostaria de ter feito…  foi uma vida perdida e se calhar no caminho com a minha arrogância, fiz outros perderem-se… Vou carregar comigo esse peso, mais esse remorso… e ainda, o bem que poderia ter feito e não fiz… tenho uma grande divida perante Deus para pagar…  oxalá não volte a cair na mesma tentação, cobrar amor com prepotência…   que loucura…   
Desculpem, não consigo falar mais… é muito duro ver o que somos, o que fazemos… e o que poderíamos ter feito… e mais ainda, ver o que nos espera… 

Resultado de imagem para chorar de tristeza
De agressor, entendo -  terei de aprender a viver numa situação de fragilidade… não sei como serei capaz… oxalá não asneire outra vez e ainda seja uma vida tão ou mais perdida como esta…  


Preciso descansar, por favor, não tenho mais força, não posso olhar mais para mim mesmo…  estou derrotado… por favor… ai se o arrependimento matasse, neste momento oferecia a minha vida àquele a que me “matou”… que lhe terei feito para o levar a esse acto desesperado… não aguento mais…

Só peço a Deus, como meu primeiro acto de regeneração, que o ampare… o remorso é uma coisa que tira a vida lentamente… e eu merecia a “sorte”, o destino que tive… foi bom… precisei ser picado na alma para repensar a minha vida…  deambulei não sei por onde… nem quanto tempo… desisti… deixei-me ficar deitado a morrer até hoje… quando olhei para o Céu e pedi a Deus… Piedade para um pecador…

               Chorando é amparado por um irmão espiritual dos trabalhos e segue para o
               seu plano espiritual onde vai ser reeducado e preparado para nova
               reencarnação. Xavier é o seu nome, 52 anos, português.