As mensagens que tenho recebido são lições de Amor e Humildade recebidas com respeito e fé como é ensinado na Doutrina Espirita. São apelos constantes à nossa consciência para que todos os dias façamos o nosso melhor, certos de que colheremos o que hoje plantarmos...
Cada um de nós é responsável pelo rumo da sua própria vida, no entanto, nunca estamos sozinhos, nossos Guias / Anjos da Guarda são queridos Amigos, Companheiros e Irmãos mais velhos a zelar por nós, sem nunca esquecer que o primeiro passo tem de ser o nosso...

Sou grata a Todos os que tocam a minha Vida, com todos aprendo... sejam eles que Quem forem... estejam eles Onde estiverem...
Consciente da minha pequenez, partilho-as convosco...

Este blog é uma produção independente, começou no final de 2014 e inclui também as mensagens recebidas desde 2007 por psicografia e psicodigitação desde Maio 2016 na AELA / Setúbal / Portugal - www.aela.pt / Facebook: AELA - Associação Espirita Luz e Amor.


28 de maio de 2016

Bernardo: "Todos temos amigos" - 27.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA - 1ª da sessão

Bernardo
Com um abraço fraterno vos saúdo.

O Caminho tem de ser percorrido por cada um de nós, a nossa evolução depende de nós mesmos, da nossa vontade de crescer e ser melhor. 

Mas ninguém está sozinho na sua caminhada!  Deste lado da Vida todos têm amigos, como irmãos mais velhos que convosco aprendem, riem, choram e evoluem. O trabalho continua, a necessidade de nos aprimorarmos continua, as provas continua…

De um lado e do outro da vida, todos temos companheiros de viagem, alguém com quem partilhar uma dor ou uma alegria. Que nunca ninguém se sinta verdadeiramente sozinho, porque nunca ninguém está abandonado à sua sorte! Deus Pai na sua Sabedoria, permite-nos ter os amigos, os companheiros necessários à nossa evolução… Aquele amigo a quem abandonámos um dia, a quem causamos sofrimento, pode ser hoje quem nos dá a mão…pode ser aquele filho que um dia desprezámos…   talvez hoje sintamos solidão… e talvez hoje aprendamos a valorizar o que é uma mão amiga… tudo o que fazemos para nós retorna na mesma faixa vibratória até que saibamos o que é o Verdadeiro Amor Fraterno, desinteressado e sempre disponível.

Que o Amor do Pai, que toda a Falange do Bem nos inspire hoje e sempre.


Com um abraço fraterno me despeço.




Ir. de Verdinho: "Posto de Socorro" - 27.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA

Boas noites, santas noites,

Minhas queridas, meus irmãos é sempre com alegria que vimos ao vosso encontro.  Tantas almas despedaçadas… sempre nos comove o sofrimento que não para de crescer… Muitos sofrimentos aqui se entrelançam, muitas ilusões aqui se desvanecem e se começa a acreditar na realidade de Vida; continuamos a viver!... 

Encarnados e desencarnados aqui lamentam as suas sortes, confessam a sua surpresa pelo que aqui, após a morte, encontram. Neste Posto de Socorro como em tantos outros espalhados pelos Universos do Pai, almas e espíritos sofrem, constatam a sua condição de ignorantes perante a Vida. De súbito compreendem a sua  própria responsabilidade no seu actual estado. Quanto Bem poderia ter sido feito e não foi…e agora nos é cobrado! Este é um dos sentimentos que mais nos corroi neste lado.  

Nestes Postos de Socorro, dão-se os primeiros Socorros, que mais não são do que amparo, apaziguar as consciências… a uns dá-se um copo de água, a outros dá-se um sorriso, uma palavra amiga, um abraço… não é o dinheiro que aqui nos move, mas sim o verdadeiro conhecimento e sentimento fraterno  de irmãos, de companheiros na mesma subida da Montanha. 

Todos precisamos de todos, por isso reencarnamos juntos e nos reencontramos tantas vezes quantas as necessárias até saldarmos a conta das nossas dividas.

Que o Amor do Pai a todos envolva, proteja e fortaleça.
Uma irmã

Ainda a aprender a amar e a viver

"É na morte que aprendemos?" - 27.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA a 27,05,2016

Se é na morte que se aprende tudo, então para que nascemos? Não era melhor continuar morto, nunca nascer? É tempo perdido vir para aqui!  Continuava-se a viver como morto e pronto! omessa! Que disparate!  Nascer na Terra para quê?  Qual é a finalidade afinal? Um gajo vem para aqui, só faz asneiras e depois tem de pagar?  Não era melhor se nunca cá pusesse os pés?  Não sofria nem fazia os outros penar! Estava resolvido! Omessa!  Omessa! Mas para que raio vivemos aqui pá?!!!  Eu só queria nem sequer existir! Quanto mais ter tido filhos, mulher, pais, cão, gato… é pá tanta coisa, e agora respondo por todas elas... é pá eu só queria não ter existido…

                     (e chora copiosamente, é assistido por dois irmãos que o abraçam demoradamente, 
                      orei com eles: aqui é uma casa de oração e auxilio fraterno, todos estamos a
                      aprender… -  expliquei mentalmente…)

Não sei o que fiz da minha vida... não sei… não fui nada, não fui ninguém… fugi da responsabilidade da vida… nem soube sequer viver para mim… não sei como perdi a fé e a vontade de viver, isolei-me… abandonei tudo e todos… não me lembro de ter sentido rancor… apenas desisti… desisti sobretudo de mim… poderia ter feito tanto… olhei apenas para a satisfação dos meus desejos… nas nem isso soube fazer… isolei-me… e agora nem me lembro bem das razões… sempre senti uma saudade imensa de algo que não sei explicar… e a isso me apeguei… nunca o atingindo, tudo o que vivi me sabia a pouco, e procurando cada vez mais experências… mais me perdi e cada vez mais longe me sentia daquela saudade, daquilo que não sei explicar o que é... um vazio que sempre me desgastou… mas onde perdi eu o conhecimento de que a vida continua, que nunca se morre?! Onde ?! quando?!  Não me lembro de me ter suicidado com qualquer acto grave, apenas desisti de viver….  foi o mesmo que me ter suicidado não foi?  Recusei-me a viver!...  é o mesmo!   Em vez de ajudar a família, ainda dei mais trabalho… vivi enlouquecido, fechado em mim atá ao dia de hoje… que é feito da minha família?  Guardo vaga memória, esposa, filhos, pais…  será desta vida ou de outra ou outras?  Vejo flashes de memórias, sinto-as como minhas, mas não as sei relacionar… porque me mostram agora tudo? Porque recordo agora o que perdi?!!  Meus Deus, como doi ver o tempo perdido… Meu Deus que fiz eu da minha Vida?!!

                (chora novamente, amargamente, baixinho… rossas lágrimas a cair…  Mais uma vez é                        abraçado por pelos Irmãos socorristas aqui presentes em permanente auxilio a todos que
                 aqui chegam)

Que me espera ainda, não posso parar de ver as tristes figuras que fiz? As vezes que não fui capaz de amar, de ajudar quem estava a meu lado, começando dentro da minha própria casa… isto sim é loucura, ver o que não fizemos e poderíamos ter feito…  por favor, já entendi… deixem-me descansar! Prefiro esquecer o que já fui!  Que eu possa recomeçar, só quero isso, recomeçar! Sem perder uma única oportunidade de fazer o que está certo! Viva eu o que viver, que eu nunca perca a força e o entendimento para fazer o que está certo… sem olhar a quem ou ao que for… não aguento mais ver o que fiz da minha vida, pára por favor, não quero ver mais nada… não posso crer o quanto desisti de mim mesmo… parem por favor, já entendi: não entendi nada de nada de Nada! Meus Deus Piedade!
Por Piedade, até um dia, com conhecimento e coragem para viver.

Um irmão.. não… ainda hei-de ser, hoje sou apenas um louco suicida, que desistiu de viver…
Piedade! Meu Deus!


                 (e seguiu amparado para o seu plano espiritual chorando, arrependido e pedindo nova 
                  oportunidade de Vida)


Palavras soltas: "Somos Loucos" - 27.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA a 27.05,2016,


Loucos, somos todos nós!
Se fingimos não ver, não crer…

Loucos somos todos nós!
Quando decidimos fugir, de nós mesmos e dos outros…

Loucos somos todos nós!
Quando temos tudo na nossa frente e o continuamos a negar:
A vida continua!



Um irmão, 
a brincar com as palavras e as verdades da vida


"Pelos caminhos do Mundo" - 27.05,2016

Psicodigitação recebida a AELA

Segui por ali, por acoli… não encontrei nada… até que um dia, não compreendendo o porquê, porque me sentia assim tão indiferente perante a Vida, decidi viajar. Apenas um saco ás costas, uns chinelos e uma manta. Viajei leve, para que nada me pudesse toldar o meu entendimento. Porque me sentia assim? De onde vinha este vazio que nunca conseguia entender naquela altura? Não era no álcool que encontrava satisfação para o meu desassossego … Não era com relações com mulheres ou homens que me dava tranquilidade… encontrei muitos mais, tão ou mais perdidos que eu… Não era a condição social, eu tinha tudo o que precisava e muito me sobrava… também não era isto que me aquecia o coração… continuava a sentir-me frio, só, perdido…  Procurei no caminho místico a explicação para este meu coração inquieto… li muitos livros, muitas doutrinas, muitas filosofias… e nada me satisfez verdadeiramente… continuei  a minha busca… desta vez decidi libertar-me de tudo o que fosse físico, ficando apenas com aquilo que era necessário para o meu dia a dia, uns chinelos para que a dor dos pés não me impedisse de caminhar, uma manta, para me cobrir durante o frio da noite e a doença não me impedisse de continuar a procurar, um saco com pequenas coisas: um lápis e um caderno grosso para registar tudo o que senti, tudo o que observava e tentar assim compreender a alma humana.
A teoria, a forma de pensar do Homem , já havia estudado o suficiente, mas como podia eu aplicar tais ensinamentos? Como os aplicavam os que os haviam estudado antes de mim?  Quis conhecer na terra a realidade! Onde estaria o meu coração a falhar? Porque me sentia tão vazio? De onde vem esta saudade que não entendo? 

Resultado de imagem para olhar nos olhosOlhei nos olhos  de muitas pessoas, procurei as suas almas, queria ver nelas o que estudei… na maioria, pouco encontrei.  Muito desespero, muita falta de fé… muito medo do dia de amanhã, muito medo sobre a morte…  medo! Presente em tantas coisas da vida! Queria entender, porque o medo é mais forte do que o Amor! Como se pode negar que o que nos alimenta é o Amor? Está presente em tudo o quu nos rodeia e nem nos apercebemos…  Eu fui o primeiro de todos a assumi-lo: dediquei toda esta minha vida ao estudo, à procura do sentido da Vida! É a isso que  se resume a minha vida…
Na minha condição de humilde viajante, contactei com muitos mundos, muitos povos, cada um com as suas crenças, os seus valores, e a sua forma de lidar com cada realidade. Uns celebram a morte com alegria, é o regresso a casa; outros vêem nesta fase da vida, uma despedida para sempre… uma perda… Como pode a Humanidade, perder o contacto com a vida espiritual? Para mim a busca foi longa até que o aceitasse também, não sou nenhum exemplo…  Quantas provas foi necessário passar até cair em mim mesmo… Somos eternos, e cada prova é apenas mais um exercício a enfrentar para nossa melhoria constante…  Mas porque o esquecemos e nos revoltamos contra Deus?    Como é curioso agora dizer “Deus”!    Quanta estrada percorri até o aceitar …    Tem tantos nomes!!! Mostra-se de tantas formas e no entanto é só UM!!  Cada forma adequada ao estado evolutivo de cada povo, de cada Mundo…

Olhando para trás… perdi muito tempo…  este vazio que sentia em mim, ainda não acabou, entendo-o agora, é a minha ansia de querer chegar junto a Deus.  É a minha ansia de regressar a casa! Porém, ninguém tem acesso directo á Felicidade! Não se compra, não se ganha do nada! É algo que se conquista no dia a dia, em cada momento, conforme nos doamos e damos a mão, de coração aberto, entendendo sempre que, a nós apenas nos exigido o nosso melhor. Este é um dos resumos que faço de tudo o que aprendi... ainda mantenho o mesmo saco, lápis, caderno, chinelos e manta…  mas mais do que pregar, aprendo eu, todos os dias uma palavra de carinho, um gesto de caridade…   toda a Humanidade precisa de sentir calor fraterno, é assim que se curam as doenças, sobretudo as da alma.
Pedi esta oportunidade para escrever o meu testemunho de viajante. Apenas isso, de um viajante do tempo, em continua troca de ideias e sentimentos até saber tudo sobre a maravilhosa Obra de Deus.

Até um dia, nos trabalhos!

Reencontro: "Mãe!" - 28.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA a 27.05.2016 - ultima da sessão

Resultado de imagem para criança pequena corre para a mãe

Tantas florinhas aqui, são para mim? Eu gosto muito das amarelinhas, são pequeninas, cheiram tão bem!
Posso também apanhar das azulinhas?  Levo para a mamã! Está à minha espera não está?  Que saudades da mamã!
Levo mais meninos, também vão ter com as mães e os pais!  Que bom!


Beijinhos, estou feliz! 
Mamã!



Oração Mensal / Bernardo - "Somos Viajantes" - 28.05.2016

Psicodigitação recebida na Oração Mensal

Bernardo
Com um abraço fraterno vos saúdamos.

Somos todos viajantes do tempo, do espaço, da Luz maravilhosa a que chamamos Vida, a que chamamos Amor.

Seres de todos os tempos se reúnem e se entre-ajudam. Cada um com o seu Entendimento, cada um com  a sua dor, a sua alegria, o seu passado e a projecção do seu futuro. A cada momento criamos a nossa realidade, alcançamos novos Mundos, novas Dimensões. 

Cada vez mais a consciência da Humanidade se abre a novas experiências, conduzida pelas experiências de dor e exemplos de verdadeira Caridade Fraterna.  É o raio de sol que penetra o gelo, o Homem que estende a mão a seu irmão caído…

Cada vez mais as Forças da Luz, incansáveis Socorristas se dirigem aos locais de dor em auxilio e ensinamento para que o sofrimento seja aliviado e a consciência do Homem aceite a natureza Eterna (de cada um de nós).

Que cada um faça a sua parte, que cada um se reveja no outro, como a parte de UM TODO, de uma Irmandade a que todos pertencemos e a quem devemos respeitar.

Que a subida da Montanha seja constante, que a Luz, O Amor do Creador sempre nos assista, proteja e eleve.


Com um abraço fraterno nos despedimos. 


Evangelho no Lar / Bernardo: "Amemos!" - 28.05.2016

Psicodigitação recebida a 28.05.2016 depois da oração Evangelho no Lar

Bernardo

Com um abraço fraterno vos saúdo.

Caridade e Compaixão são dois balsamos que se fundem num só: o Amor Fraterno!

Tantos pais que choram por seus filhos, tantos filhos que choram por seus pais... tanto desespero, tanta falta de fé, tanta falta de conhecimento de que a vida continua... que as provas que nos chegam são as mais necessárias para o nosso desenvolvimento...
Tantas lágrimas de dor,,, tantos irmãos que se julgam sós na sua caminhada... abandonados no seu infortúnio... tanto desespero... tanta falta de conhecimento sobre as leis da Vida...
Somos nós que fazemos o nosso destino, colhemos apenas o que um dia semeámos...

Coragem! Amemos apenas como gostaríamos de ser amados, e tudo o resto virá ao nosso encontro em Paz e Harmonia.

Com um abraço fraterno me despeço


22 de maio de 2016

Evangelho no Lar / Bernardo : "Abraço" - 22.05.2016

Psicodigitação recebida depois da Oração Evangelho no lar

Bernardo
Com um abraço fraterno vos saúdo.

Existe neste Mundo, tanta falta de carinho, tanta falta de compaixão... um abraço, uma palavra amiga, pode salvar várias vidas...
Porque não vivemos sozinhos, tudo o que fazemos ou deixamos de fazer, tem uma consequência para nós e para aqueles que dependem de nós e perante os quais, nos tornamos responsáveis pela sua dor, se poderíamos ter auxiliado e não o fizemos...

Tantos irmãos, para quem um simples sorriso poderia ter-lhes mudado o curso de seu destino... e nem nos apercebemos, de tão obcecados que andamos com o nosso próprio "viver"...
Mas a que chamamos "viver"?  Grande parte da Humanidade, não "vive": existe!... Vive centrada no lado físico, faz por esquecer o lado da vida espiritual e em como somos eternos, colhendo sempre o fruto de nossos actos.

Abracemos a Vida de coração aberto, com coragem e fé! Nada acontece por acaso, tudo faz parte da nossa aprendizagem.

Com um abraço fraterno me despeço.




Bernardo: " A sua Verdade" - 19.05.2016

19.05.2016 -  Primeira psicodigitação recebida na sessão na AELA

Bernardo
Com um abraço fraterno vos saúdo.

Verdade, cada um tem a sua verdade. Cada um de nós vê a vida de uma forma, não é nem a mais correcta nem a mais incorrecta. Tudo é fruto das nossas experiências, daquilo que aprendemos sobre nós mesmos e sobre os outros.

Para uns, uma contrariedade é uma desgraça; para outros, é mais uma oportunidade para se colocar á prova, é mais uma ocasião de aprendizagem, de se sublimarem e elevarem a si próprios. Vejamos um exemplo: aquele irmão que partiu uma perna. Para si, se não tem fé no Amor do Pai, se não se acredita que nada acontece por acaso, partir este membro será uma desgraça… no entanto, sua alma pode sentir que terá sido uma Benção.  Esta condição tê-lo-á levado a ter mais momentos consigo mesmo, mais tempo para se dirigir ao Pai… alguns momentos de recolhimento. Poderá ter sido também um meio de evitar que este irmão se desloca-se para locais e situações que resultariam em grande prejuízo para o seu crescimento (futuro).

Verdade, é tudo aquilo em que cremos com todas as nossas forças, é tudo aquilo que conseguimos compreender.  É necessário ser tolerante connosco mesmos, aceitar que estamos aqui para aprender e que neste Caminho erramos muitas vezes, sofrendo e causando sofrimento. É necessário ter  a coragem para estender a mão seja a quem for. A Lei do Pai, na qual recebemos de acordo com as nossas acções, fáz com que toda a Vida seja justa.  Os desajustes á Lei do Amor levam-nos a situações de dor até que compreendamos que não nos compete a nós aplicar a justiça, exigir por vingança a rectificação da causa da nossa dor. A própria Vida na sapiência de Deus Pai, se encarrega de equilibrar a Balança, por isso vivemos tantas vidas quantas as necessárias para aprender a amar e viver em paz e harmonia.

Com um abraço fraterno me despeço.


Ir. de Verdinho: "Os remorsos de um suicida" - 19.05.2016

Psicodigitação recebida a 19.05.2016 na AELA

Boas noites, santas noite,
Minhas queridas, meus irmãos, com grande carinho vimos ao vosso encontro. São tantos os que aqui chegam esfarrapados… totalmente despojados de qualquer restea de esperança, de fé...  muitos são vagabundos á seculos e só agora encontram uma mão amiga… creem estar loucos… com dificuldade aceitam que a vida continua… muitos atentaram contra a sua própria vida, julgando assim que estavam a terminar o seu sofrimento… ficam confusos, incrédulos quando tomam consciência de que afinal não deixaram de existir, que sofrem ainda mais… pela situação de dor que causaram, pelas consequências do seu acto desesperado…  Ficam os remorsos, o peso na consciência… a loucura como fuga á nova realidade que agora enfrentam…

Minhas queridas, meus irmãos, de nada vale querer adiar a prova que agora se nos apresenta difícil… impõe-se a assimilação de uma lição!  Enfrentai as vossas dificuldades com coragem, façais o melhor que estiver ao vosso alcance com Fé! Orai ao Pai por Entendimento, para vós mesmos e para todos aqueles que vos causam dor ou preocupação. Iremos ao vosso encontro sempre que nos é permitido! Neste lado da vida continuamos a trabalhar, a enfrentar nossas provas e missões.  Muitos de nós, temos por missão o serviço fraterno, o auxilio a todos os que precisam, não esquecemos que também nós já vivemos situações de aprendizagem em vários Mundos.  Convosco choramos, aprendemos, oramos e rimos.
Que o Amor do Pai a todos reúna, ilumine e fortaleça.

Uma irmã

Ainda a aprender a viver e amar


21 de maio de 2016

L. - "Queridos paizinhos - 19.11.2015

Recebido na AELA

Esta entidade desencarnou com 20 anos.em 1987. Tem comunicado com alguma regularidade. Acompanha a dor e a vida dos pais.
A mãe desta entidade ia ser submetida a uma operação. Os pais estão velhotes e tem agora a companhia de um casal a fazer-lhes companhia.



L.
Querida mana, querido irmão, obrigada pelo vosso carinho pelos velhotes, começam a acreditar que vocês são verdadeiros e que não os abandonam. Peço a Deus Pai que vos guarde e ajude sempre.

Queridos paizinhos, estou feliz, não estão sozinhos! Posso finalmente descansar! Estão bem entregues! Descansem.

Mãezita, estarei a seu lado na operação, dou-lhe a mão, não tema. Será o que Deus quiser!
Paizito, tenho o cabelo comprido e brilhante, estou bem, estou viva!

Com saudade me despeço, nunca me esqueço de vocês todos.
L.


De um arrependido: "A quem agradeço?" - 19.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA

Quer quero eu da vida? Sei lá! Nem sei se queria viver quanto mais sei o que quero…. Eu queria era desaparecer!  Tou farto de andar por aí…  ninguém me liga, ninguém me ouve… acho que estou é louco…  é que não morri!  Não desapareci! Eu só queria desparecer, nem chateava ninguém… pufff desparecia e pronto, estava tudo resolvido!  Mas não!?? Não sei como, continuo aqui a falar, a pensar, a andar…  é mesmo de doidos!!!! Até parece que é coisa de coma alcoólico!  É que é mesmo esquisito! Continuo vivo!!! Enforquei-me… mas também não pensei que ia morrer mesmo para dizer a verdade… já nem sei o que esperava… não era feliz, mas agora também não o sou!... não resultou como queria, como pensava: morria-se e pronto…   ah mas não sou só eu, estão aqui muitos mais como eu, com cara de parvos, sem acreditar nisto! É que não se morre! Não se desaparece!!!...  já percebi que muito me espera pela frente, que fiz asneira da grossa… que terei de me esforçar muito para recuperar o tempo perdido, a oportunidade perdida… a vida perdida…  não sei se terei coragem, não era melhor que quem quisesse-se desaparecer, pura e simplesmente se evapora-se?  Olha o trabalhão que vai ser, para quem não quer viver e para quem por bondade nos ajudar… sim, nos ajudar, estamos muitos aqui, assim como eu… perdidos… é isso, perdidos… sem rumo e sem vontade de nada… que mais me espera? Alguém se vai interessar por mim? Um zero á esquerda? Nada tenho para oferecer, nem a minha própria dignidade posso oferecer a mim mesmo… nada… não sou nada… desisti de viver e com isso, fiz sofrer alguém que me quer bem… meus pais… meus pobres pais… mostram-me meus queridos pais a chorar a sofrer por mim… nem sequer fui capaz de aceitar o seu amor… nem tão pouco retribui fosse o que fosse… apenas ingratidão e revolta… nem sei bem porquê…  apenas nunca me senti em casa… mas porquê?  Que loucura!  Talvez se tivesse pensado em me dedicar aos que sofrem mais que eu, sem pais, sem pão… talvez soubesse agradecer o que tinha e desprezei…
Apenas já entendi que vou ter muito que recuperar e muito que agradecer a quem pediu ajuda para mim, Pela cara dos outros, imagino que também se sintam assim…  sim, sinto-me envergonhado… nada fiz com a minha vida… vejo outros passarem aqui, a chorar por não terem conseguido fazer mais, ter dado mais pão aos mendigos da rua!!!.... gente com cara suja, a chorar de compaixão!! E outros como eu,a chorar apenas porque só vivemos para o nosso umbigo, ou melhor… nem isso conseguimos fazer… desistimos… até de nós mesmos… acho que á isso que se resume a nossa condição… a nada…  e mesmo assim, estão aqui enfermeiros – tipo enfermeiros? Calmíssimos a estenderem a mão, a estes desgraçados…como eu… e eu ainda vim ter contigo…e permitiram!... ainda me ouvem apesar de eu ser um traste…  Meu Deus… Obrigado…
Não sou ninguém… apenas queria dizer; pais: obrigada por rezarem pelos vossos filhos… por não desistirem de pedir ajuda, eu já recebi a mão de alguém que vai ser meu Mentor neste novo Caminho, nesta nova vida que agora tenho de enfrentar com a vergonha de ter sido um filho ingrato…  Filhos: estimem vossos pais, respeitem-nos! Deram-vos a oportunidade de recomeçar a lição. E respeitem-se a vocês mesmos,  não se morre, e se tentarem terminar com a vida, não conseguem… ainda acabam a chorar mais…
Deixo o meu desabafo… não esqueçam que aqui tomamos muito bem consciência do que poderíamos ter feito e fizemos… fica a divida… doi… e doi muito ver a vergonha daquilo que fomos.
Quem sabe até um dia, em melhores dias espero, sem lágrimas de vergonha
Um louco tresloucado e muito arrependido

J.


Ir. Colaborador: "Misérias da Vida" - 19.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA



Boa noite
As misérias da Vida são causadas maioritariamente por nós mesmos, pelo nosso egoísmo, medo e falta de coragem para viver. E continuam assim depois de desencarnarem…  As nossas crenças estão tão enraizadas, que ficamos cegos, loucos, ao constatarmos a nova realidade.  Incrédulos, fugimos, procuramos vingança, escondemo-nos ou procuramos auxilio junto daqueles que conhecíamos. Agravamos a nossa dor e daqueles que nos estimam ou estimavam.
Desde cedo é importante que a edução da criança, do “jovem” espirito, se inicie com os conhecimentos sobre a realidade espiritual e a nossa natureza eterna. Sentindo esta responsabilidade, desde logo tendemos a nos esforçarmos e respeitarmos mais a nossa realidade eterna.  Tudo tem uma consequência, é importante que isto seja incutido em todas as encarnações – reencarnações desde logo. Apenas este sentido de responsabilidade, nos conduz mais rapidamente à Harmonia e Paz, pelo nosso esforço em fazer todos os dias o nosso melhor.

Um irmão

assistente dos trabalhos em missão de estudo.


Palavras soltas: "Sei lá!" - 19.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA


Sei lá o quero
Sei lá o que penso
Sei lá se vivo
Pouco me importam as palavras cortantes
Pouco me importam as dores que me chegam
Sei lá se existo…

Não dei nem recebi amor…
Não recebi nem dei amor…

Então não vivi…
Então isto não é viver…

Quem me ajuda a saber viver?
Quem?


Um irmão

A brincar com as palavras e as verdades da vida


"Vi a Luz!..." - 19.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA - ultima recebida na sessão.

Ai a Luz, onde está a luz de que tanto ouvi falar?  Onde está? Sim, onde está?  Eu sempre trabalhei na igreja, sempre fui á missa!!  Porque não vejo a tal Luz? Porque não vem Jesus buscar-me? Limpei muitos crucifixos!  E Nossa Senhora, de que está á espera? Rezei-lhe muitos terços, fiz muitas novenas e rosários!  Eu mereço! Desculpem lá, mas eu mereço!  E estou a qui á espera que me venham buscar como mereço, se fáz favor!  Eu trabalhei muito na casa do Senhor, na igreja, e nada! Sou tratada como qualquer um!  Ora muito bem, de que valeu tanto trabalho na casa de Deus?  Não entendo! Toda a gente me via lá a limpar, a rezar, todos os dias!  Não entendo? E agora o Senhor não se lembra de mim! Bonito! Uma vida inteira na igreja e nada!  Sim senhor!  Valeu a pena! Deixei de viver a minha vida, para viver a vida da igreja e no fim, valho tanto como aqueles desgraçados que lá iam pedir, credo! Que pivete, eu a lavar o chão e eles a entrarem sujos e a cheirar mal!  Claro que tinham de sair, as pessoas de Bem iam ali para rezar, não podiam levar com pivetes!  Na Casa do Senhor, temos de estar limpos! Que é lá isso!??  Não permitia isso! Era a Casa do Senhor, do meu Senhor, que pelos vistos não me liga nenhuma, eu só queria respeito ali! Por Amor de Deus!  Sim senhor, o Senhor não me vem buscar, nem a sua Mãe Santissima!  Que bonito isto!  Tantas esmolas que eu pedi para os pobres! Eu era muito caridosa, ao Domingo pedia sempre para os pobres! Pois, á gente que só vai á igreja pavonear-se, bem podem dar algum dinheiro, se tem tanto para comprar roupas, bem podiam dar alguma coisita…   Bem era para os pobres, não é?  Eles precisam!   Sim senhor, isto é incrível, uma escrava do Senhor, que o Senhor esquece!  Lindo! 
Mas afinal eu fiz algum mal? Não entendo! Deus quer a sua Casa cuidada e quer que se cuide dos pobres, e eu não dediquei a minha vida toda a isso? Então porque ninguém me vem buscar? Não é preciso banda de música, por amor de Deus, bastava que viesse Senhor buscar-me sozinho!!!!  Rezei-lhe todos os dias, ia à missa todos os dias!!

(fez uma pequena pausa, em reflexão… irmãos de luz/trabalhadores vêm para junto dela e colocam uma mão no seu ombro carinhosamente)

Se calhar não devia de ter escorraçado os pedintes da igreja não é? Nem criticado a roupa dos ricos, nem ter pedido de maneira insultuosa, cínica aos que lá entravam para rezar… se calhar afastei algumas pessoas de ali rezarem um bocadinho… se calhar não fui assim tão inteligente…. Se calhar, se tenho sido mais calma e bem temperada, tinha “chamado” mais pessoas para a Missa… fiz da Casa de Deus, o meu castelo altaneiro de onde olhava todos com desdém… acho que pensei que se trabalhasse ali e fosse á missa todos os dias , tinha a minha salvação garantida…
Acho que estou envergonhada… não fui lá muito boa católica, se calhar nem boa pessoa… Se calhar o Senhor Jesus, teria olhado mais para mim, se eu deixasse os pobres entrarem e lhes desse um copo de água.  Alguns só queriam um momento de paz, longe do olhar que todos fazemos ao pobre pedintes… alguns tinham filhinhos pequenos consigo… e ás vezes chovia ou fazia uma torreira sufocante… 
Não tive filhos, pais morreram cedo.. fiquei sozinha e com medo de tudo… enclausurei-me na igreja, fui carrasca… julquei e maltratei com soberba… tenho vergonha… que o Senhor não venha agora por favor, não tenho coragem de o olhar… meu Deus, como pude ser tão cega?!...  como não entendi a Palavra do Senhor?  Meu Deus…  Meu Deus… perdão.. perdão…

(cai no chão de joelhos a chorar e vê a Luz)

A luz!!! A Luz!!!! Eu não mereço. Não mereço…


( e é levada amparada para a Luz pelos irmãos espirituais)


14 de maio de 2016

Evangelho no Lar / Bernardo - "Caridade Fraterna, um bálsamo" - 14.05.2016

Recebido depois da Oração Evangelho no Lar.

Bernardo

Com um abraço fraterno vos saúdo.

A Caridade Fraterna é balsamo para muitas feridas do corpo e da alma, mas não só daqueles a quem estendemos a mão,  muitas das nossas dores se apaziguam neste processo de auxilio.

Quantas vezes tomamos noção que a dimensão do nosso problema é bem pequeno comparado com verdadeiras situações - do ponto de vista da vida na Terra - bem mais dolorosas, como um filho paraplégico, um pai cego, uma mãe em situação de loucura...
Só nestas situações tomamos consciência das muitas Bençãos que recebemos diariamente e das quais não nos apercebemos: o pão na mesa, a cama limpa, um tecto para o dia de chuva, a saúde da familia...

Sempre que entremos em estado de desânimo, olhemos à nossa volta... tantos outros sofrem muito mais...  colaboremos pois, no auxilio fraterno a todos quantos no for possivel. A Vida é uma roda constante, hoje somos o Senhor, amanhã poderemos ser o mendigo...  e nunca sabemos, se aquele pedinte que hoje está à nossa porta, não será aquele nosso filho querido que agora regressa para nova prova na Terra. Recordai-vos, a vida continua...

Com um abraço fraterno me despeço.




13 de maio de 2016

De uma Menina Princesa - "Cavalinho!" - 12.05.2016

Psicodogitação recebida na AELA


Se fui uma princesa? Acho que fui! Tinha um vestido com brilhantes, bolinhas brancas e rodava!
Onde estão as outras meninas? E a minha mãe? Não vieram comigo! Quem és tu?

(tentei explicar que somos amigos que a ajudaremos a encontrar a mamã)


Resultado de imagem para princesas e poneisVou encontrar a mãmã? Ela também tem um vestido de princesa? E quem me penteia o cabelo?
Olha mais meninas princesas! Têm um cavalo branquinho, lindo! Pequenino como o meu!? Ooohhhh querido cavalinho, tinha tantas saudades tuas! Ele conhece-me, ele conhece-me!! Vês, vês? Está a fazer-me festas, olha puxa-me o vestido! Cavalinho lindo! Não saltamos para cima dele! Fáz-lhe doer as costas! Vamos ao lado dele! Vamos, vamos! Vamos todas! A mamã está á minha espera? Também tenho muitas saudades dela! Ai, o meu cavalinho, como é que ele sabia de mim? Arranjas uma maça para lhe dar? Depois? Muitas? Obrigada.

Anda cavalinho! Vamos todas com ele, é meiguinho! Gosto tanto dele e ele de mim! Eu sei! Anda!



Ir. Colaborador - "Humildade e compaixão" - 12.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA

Paz para todos nós!

A Humildade e a Compaixão andam e mãos dadas em todos os trilhos da Harmonia interna e externa, na Paz!
Muitos buscam fora de si a Paz que se faz necessária no seu íntimo para alcançarem o seu equilíbrio e o seu desenvolvimento.

Resultado de imagem para coragem e determinaçãoSomos nós mesmos que contruímos os muros á nossa volta que nos separam do contacto com as boas energias que circulam por todos os Universos do Pai.
Somos nós mesmos que nos afastamos daqueles que precisamos para nos auxiliarem (e serem auxiliados), no nosso processo de enriquecimento espiritual.
Amando, seremos amados! Dando, receberemos! Nada nos pertence verdadeiramente a não ser a nossa experiência! Então porque cismamos em nos tornarmos detentores daquilo que não nos pertence?

Quanta imprudência… Levamos tanto tempo a ser verdadeiramente humildes… a olhar para o que nos rodeia com gratidão… nada por nós é criado, tudo nos é oferecido…

Todos precisamos de um ombro amigo, de uma palavra de animo… no fundo, de alimentar a nossa Fé para continuar a viver e enfrentar nossas provas...

Tenhamos a coragem de dar a mão aquele que está sozinho a sofrer, seja ele quem for…
Tenhamos a coragem de perdoar, seja a quem for, uma palavra mais dura ou impensada…
Tenhamos a coragem de sentir a dor de nosso irmão, de coração aberto, com verdadeira compaixão,
….porque também nós já fomos um dia, aquele que hoje nos fere…

Convosco, nos trabalhos, com um abraço fraterno me despeço.

Xavier
Um humilde trabalhador desta casa.


De um Arrependido - " Não consigo ajudar..." - 12.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA

(muita agitação na sala ao ser tratada uma pessoa)


Raios pá, larguem-me, quer raio esperam de mim pá!? Será que podem deixar-me em paz? Que raio faço aqui? Porque me trazem para aqui, amarrado? Mas eu fiz mal a alguem pá? Quem raio pensam que são para me apertarem assim? Calo-me? Não calo nada pá! Irra, larguem-me, larguem-me pá, já disse larguem-me! Acham que são melhores do que eu? Em quê? Porque não estão amarrados? Olha olha! Estão tão loucos como eu! Água benta cada um toma a que quer! Não é assim que dizem! Presunção cada um tem a dose que quer! Eu?! Se eu fui assim um presunçoso? Fui e depois? Vou preso é? Não posso falar? Mas que é isto pá!? Que é lá isso pá? Larguem-me!!
Olha agora! Já não se pode dizer o que se pensa não!? Falo baixo, falo baixo se eu quiser! Irra pá! Larguem-me, eu falo baixo se me largarem…

Quem me trouxe aqui? Eu vinha com ele mas não era cá para dentro!! Quem é que me foi buscar? Eu saia o que estava a fazer pá! O gajo é como eu, um pulha, trafulha, mentiroso e depois quer milagres! Quer ouro a correr por uma telha sem se preocupar se está a esvaziar o cofre do vizinho… é um ganancioso como eu pá… eu bem lhe digo para não fazer isso, eu já sei que isso é asneira da grossa pá, mas o gajo não me ouve! Cada dia fáz pior! Eu só queria que o gajo parasse, depois sofre como eu! É filho de um grande amigo meu, não sei dele á anos, mas prometi-lhe que tomava conta do filho… é pá, mas não consigo, não consigo cumprir a minha promessa de o ajudar… já estou calmo, podem dar-me espaço, não vou morder nem esganar ninguém pá… estou triste pá, estou triste… sei que não presto… mas queria cumprir o que prometi e ajudar o filho do meu amigo… é pá, mas como é que agente mete os pés pelas mãos assim… nem posso crer… que estupido fui… já entendi! Não é assim que se consegue ajudar, já entendi que primeiro tenho de saber viver na minha nova condição… já entendi, é pá desculpem… desculpem… só me sinto envergonhado… nem sei o que fazer a seguir… chorar também não resolve nada… se calhar prejudiquei o rapaz… mas só lhe queria bem…. Mas assim ele também não vai longe, ou muda e é mais humilde e esforçado, e luta com honestidade por aquilo que quer ou acaba um desgraçado como eu cheio de remorsos e vergonha… é o que eu mais sinto….

Desculpem… não consigo falar mais nada, vejo o ridículo da minha situação… desculpem…
Vou para onde me mandarem… obrigado por me ouvirem, desculpem o mau génio… um dia vai passar… tem de passar…

Terêncio Silva


Palavras soltas - "Notas de Vida" - 12.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA

Notas de Luz
Notas de alegria
Notas de dor
Notas de gratidão,
Tudo fáz parte da Vida, da aprendizagem que todos precisamos percorrer…
Tudo fáz parte da pauta da Música da Vida
Aceitar a dor
Aceitar que dela vem o Amor
É dar esperança ao nosso próprio Ser
É inspirar a vida de outro Ser
É um dia merecer e receber em dobro aquilo que um dia ofertámos…
É crer que nada se perde, e tudo para nós volta…
A Vida continua…





Um irmão
a brincar com as palavras e as verdades da vida


De Arrependidos - "Fui louco" - 12.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA

Resultado de imagem para grãos de areia ampliadosAi… Ai… doi-me a alma…. Tanto tempo perdido… Para além de tempo perdi amores, fiz desamores e arranjei inimigos para a vida e para a morte…. Sendo todo pimpão, julgando-me a mim senhor do universo, espezinhei a tudo e a todos… e hoje vejo-me a mim aqui como um grão de areia… a tremer para que não me pisem… olha como as coisas mudam… que sou eu agora, um nada… nem lágrimas consigo verter… já as sequei de tanto que tenho chorado e lamentado a minha triste sorte, por minha culpa, por minha culpa a penas assim a tenho… triste e medonha… mas que fiz eu da minha vida…. De rei e senhor… a grão de areia… nada mais sou… meu Deus… que fiz eu da minha pobre vida?... fechei a porta a todos os que me pediram ajuda, nem uma palavra amiga tive para oferecer a ninguém… tal era a minha soberba… nem os animais gostavam de mim, nem cão nem gato, nem as moscas!... que triste fui, triste morri… sozinho…. Não dei por morrer… terei enlouquecido? Acordo aqui… e aqui tenho estado a olhar, a olhar, não como nem bebo, parecia uma estátua paralisada pelo medo de viver… desespero?medo? Desespero apenas? Que fui eu fazer da minha vida?... assim tenho vivido este estado hipnotizado por mim mesmo, louco… não sei á quanto tempo… olhava, olhei - e nada ver… até que há pouco tempo atrás ,a minha crisálida de verniz se partiu e recomecei a ter consciência do que estava a meu lado… eu não merecia esta Benção… reconheço… tenho a leve impressão de que alguém intercedeu por mim… mas quem? Não fui gentil para ninguém!! Quem me poderá amar assim, para interceder por mim? Não mereço nem o ar que respiro… fui um traste humilhante para todos os que me rodeiavam… a quem posso um dia beijar as mãos e agradecer? Quem acha que eu ainda me posso tornar gente! Quem tem fé em mim? De joelhos agradeço… seja a quem for… um dia quererei agradecer e por esse amor que agora recebo, sem merecer, quero ser melhor… quero pedir perdão a todos a quem já pisei um dia, a todos a quem prejudiquei fazendo mal, ou pura e simplesmente por não ter auxiliado tendo condições para o fazer… quero redimir-me… não poderei viver de outra forma… Peço a Deus a Graça de saber ser grato a quem me dá a mão.

Vou preparar-me para saber viver, um dia voltarei. Vou Viver a sério…

Com gratidão
Silvestre
Na vida

De um Arrependido - "Com esperança" - 12.05.2016

Psicodigitação recebido na AELA


Que fiz eu da minha vida? Que fiz eu da minha vida? Procurei no ouro a garantia da paz, quis comprar o meu descanso e o direito ao paraiso… esqueci que nada aqui é de ouro… deste lado da vida, o que brilha é o Amor Verdadeiro, a luz que irradia de todas as fontes ligadas a Deus… nem ouro nem diamantes, nada do que é material nos segue… como pude eu ter tamanhas ilusões!! Porque achei que o ouro compraria a minha salvação?


Na Terra fui rei e senhor, agora, nada sou… nada… nem o chão que piso mereço… vejo tantas almas, tantos Irmãos verdadeiramente dedicados ao Serviço da ajuda fraterna na mais completa simplicidade e doação de carinho que me comovo só de ver… como poderia eu imaginar que se poderia viver assim… e muito mais feliz… vejo suas faces, calmas, tranquilas… não há gritos, não há más palavras… não se sentem más intenções… vibra-se em harmonia… verdadeiramente sente-se o ar mais leve… é uma inspiração para muitos como eu que apenas conhecíamos a vida material e o viver egoísta… Não sei o que dizer perante esta realidade de paz… foi-me permitido ver o lado amoroso da vida, contudo ainda não tenho o direito de aí viver… mas saber que existe algo melhor do que alguma vez sonhei, dá-me coragem para tentar, eu tenho de recuperar o tempo perdido, ainda que tenha de regressar á Terra em condição de miséria, sei que, o saber que o amor verdadeiro e desinteressado existe, fáz-me valer a pena tudo o que tiver de passar… talvez a minha vida possa inspirar alguém… talvez alguém já tenha sentido o mesmo… Meu Deus, chamo por Deus! Nunca o iria supor! Nunca na Terra o fiz! Tal era a minha presunção de superioridade … quanta ilusão… meu Deus… a Seus pés me ajoelho e peço perdão por tanta ingratidão… como sou pequenino… Foi preciso ver para crer que o Paraíso existe… para ter coragem e fé na Vida… Não tenho ainda direito a essa Benção, mas tudo farei para a alcançar um dia! Misericórdia meu Deus, eu não sabia… eu não sabia… eu não sei como o pude esquecer… as almas continuam a viver… como o pude esquecer…

Testemunhei a Luz! E a ela um dia voltarei! Uma vida eu voltarei a sentir este Amor… voltarei… estou pronto para recomeçar!... Como eu, muitos mais existem aqui e noutros lados… esta noite muitos de nós seguirão para outros pontos de aprendizagem… postos de socorro… não regressamos já á Terra… vamo-nos preparar e mentalizar primeiro para as novas vidas, para as novas experiências… tendo sido egoístas… não nos esperam dia fáceis… teremos de aprender a ser gratos… Mas recordar aquela Paz, querer voltar para ela, vai dar-me coragem…

Sou grato, GRATO por ter podido testemunhar aquele Amor fraterno que existe, para ele quero voltar um dia! Misericórdia, Deus Pai! Piedade! Sou um filho ingrato, somos filhos ingratos! Perdão…


Até um dia, em Paz!

João Pedro
Toronto

Ir. de Verdinho - " Agradecer o Pão" - 12.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA

Boas noites, santas noites

Minhas queridas, meus irmãos é sempre com alegria que vimos ao vosso encontro. São tantas as almas despedaçadas que aqui chegam… nossas e vossas lágrimas aqui se misturam… muitas dores aqui se misturam…. Muitas esperanças aqui se desenham, novas vidas aqui se começam a desejar e planear…
Tantas almas arrependidas pelo tempo perdido… tantas lágrimas….
Tantos pedidos de ajudam aqui chegam… todos replectos de esperança por alcançarem alguém que os atendam e proporcione a ajuda necessária para alcançar dias mais felizes…
Mas meus queridos irmãos, nós somos os primeiros a não fazer o nosso melhor… quando vamos aprender que está tudo na nossa mão? Que depende de nós ter o mérito de receber a ajuda que pedimos?
Como podemos receber pão, se o negámos anteriormente a nosso irmão faminto e a desfalecer… iriamos reconhecer o que é ser atendido se recebesse-mos gratuitamente esse pão que agora pedimos?
Como saberíamos ser gratos pela Graça recebida, se não passámos pela necessidade de a sentir em nosso coração?
Deus Pai, piedade para todos nós… ainda não sabemos ver para além do nosso próprio umbigo… quanto tempo mais vamos precisar para entender-mos que estamos todos lado a lado para nos ajudar-mos e não separar-mos…

Deus Pai, que o Vosso Amor a todos reúna, fortaleça e inspire.
Uma irmã,
ainda a aprender a viver e a amar.