As mensagens que tenho recebido são lições de Amor e Humildade recebidas com respeito e fé como é ensinado na Doutrina Espirita. São apelos constantes à nossa consciência para que todos os dias façamos o nosso melhor, certos de que colheremos o que hoje plantarmos...
Cada um de nós é responsável pelo rumo da sua própria vida, no entanto, nunca estamos sozinhos, nossos Guias / Anjos da Guarda são queridos Amigos, Companheiros e Irmãos mais velhos a zelar por nós, sem nunca esquecer que o primeiro passo tem de ser o nosso...

Sou grata a Todos os que tocam a minha Vida, com todos aprendo... sejam eles que Quem forem... estejam eles Onde estiverem...
Consciente da minha pequenez, partilho-as convosco...

Este blog é uma produção independente, começou no final de 2014 e inclui também as mensagens recebidas desde 2007 por psicografia e psicodigitação desde Maio 2016 na AELA / Setúbal / Portugal - www.aela.pt / Facebook: AELA - Associação Espirita Luz e Amor.


21 de maio de 2016

"Vi a Luz!..." - 19.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA - ultima recebida na sessão.

Ai a Luz, onde está a luz de que tanto ouvi falar?  Onde está? Sim, onde está?  Eu sempre trabalhei na igreja, sempre fui á missa!!  Porque não vejo a tal Luz? Porque não vem Jesus buscar-me? Limpei muitos crucifixos!  E Nossa Senhora, de que está á espera? Rezei-lhe muitos terços, fiz muitas novenas e rosários!  Eu mereço! Desculpem lá, mas eu mereço!  E estou a qui á espera que me venham buscar como mereço, se fáz favor!  Eu trabalhei muito na casa do Senhor, na igreja, e nada! Sou tratada como qualquer um!  Ora muito bem, de que valeu tanto trabalho na casa de Deus?  Não entendo! Toda a gente me via lá a limpar, a rezar, todos os dias!  Não entendo? E agora o Senhor não se lembra de mim! Bonito! Uma vida inteira na igreja e nada!  Sim senhor!  Valeu a pena! Deixei de viver a minha vida, para viver a vida da igreja e no fim, valho tanto como aqueles desgraçados que lá iam pedir, credo! Que pivete, eu a lavar o chão e eles a entrarem sujos e a cheirar mal!  Claro que tinham de sair, as pessoas de Bem iam ali para rezar, não podiam levar com pivetes!  Na Casa do Senhor, temos de estar limpos! Que é lá isso!??  Não permitia isso! Era a Casa do Senhor, do meu Senhor, que pelos vistos não me liga nenhuma, eu só queria respeito ali! Por Amor de Deus!  Sim senhor, o Senhor não me vem buscar, nem a sua Mãe Santissima!  Que bonito isto!  Tantas esmolas que eu pedi para os pobres! Eu era muito caridosa, ao Domingo pedia sempre para os pobres! Pois, á gente que só vai á igreja pavonear-se, bem podem dar algum dinheiro, se tem tanto para comprar roupas, bem podiam dar alguma coisita…   Bem era para os pobres, não é?  Eles precisam!   Sim senhor, isto é incrível, uma escrava do Senhor, que o Senhor esquece!  Lindo! 
Mas afinal eu fiz algum mal? Não entendo! Deus quer a sua Casa cuidada e quer que se cuide dos pobres, e eu não dediquei a minha vida toda a isso? Então porque ninguém me vem buscar? Não é preciso banda de música, por amor de Deus, bastava que viesse Senhor buscar-me sozinho!!!!  Rezei-lhe todos os dias, ia à missa todos os dias!!

(fez uma pequena pausa, em reflexão… irmãos de luz/trabalhadores vêm para junto dela e colocam uma mão no seu ombro carinhosamente)

Se calhar não devia de ter escorraçado os pedintes da igreja não é? Nem criticado a roupa dos ricos, nem ter pedido de maneira insultuosa, cínica aos que lá entravam para rezar… se calhar afastei algumas pessoas de ali rezarem um bocadinho… se calhar não fui assim tão inteligente…. Se calhar, se tenho sido mais calma e bem temperada, tinha “chamado” mais pessoas para a Missa… fiz da Casa de Deus, o meu castelo altaneiro de onde olhava todos com desdém… acho que pensei que se trabalhasse ali e fosse á missa todos os dias , tinha a minha salvação garantida…
Acho que estou envergonhada… não fui lá muito boa católica, se calhar nem boa pessoa… Se calhar o Senhor Jesus, teria olhado mais para mim, se eu deixasse os pobres entrarem e lhes desse um copo de água.  Alguns só queriam um momento de paz, longe do olhar que todos fazemos ao pobre pedintes… alguns tinham filhinhos pequenos consigo… e ás vezes chovia ou fazia uma torreira sufocante… 
Não tive filhos, pais morreram cedo.. fiquei sozinha e com medo de tudo… enclausurei-me na igreja, fui carrasca… julquei e maltratei com soberba… tenho vergonha… que o Senhor não venha agora por favor, não tenho coragem de o olhar… meu Deus, como pude ser tão cega?!...  como não entendi a Palavra do Senhor?  Meu Deus…  Meu Deus… perdão.. perdão…

(cai no chão de joelhos a chorar e vê a Luz)

A luz!!! A Luz!!!! Eu não mereço. Não mereço…


( e é levada amparada para a Luz pelos irmãos espirituais)