As mensagens que tenho recebido são lições de Amor e Humildade recebidas com respeito e fé como é ensinado na Doutrina Espirita. São apelos constantes à nossa consciência para que todos os dias façamos o nosso melhor, certos de que colheremos o que hoje plantarmos...
Cada um de nós é responsável pelo rumo da sua própria vida, no entanto, nunca estamos sozinhos, nossos Guias / Anjos da Guarda são queridos Amigos, Companheiros e Irmãos mais velhos a zelar por nós, sem nunca esquecer que o primeiro passo tem de ser o nosso...

Sou grata a Todos os que tocam a minha Vida, com todos aprendo... sejam eles que Quem forem... estejam eles Onde estiverem...
Consciente da minha pequenez, partilho-as convosco...

Este blog é uma produção independente, começou no final de 2014 e inclui também as mensagens recebidas desde 2007 por psicografia e psicodigitação desde Maio 2016 na AELA / Setúbal / Portugal - www.aela.pt / Facebook: AELA - Associação Espirita Luz e Amor.


28 de maio de 2016

"É na morte que aprendemos?" - 27.05.2016

Psicodigitação recebida na AELA a 27,05,2016

Se é na morte que se aprende tudo, então para que nascemos? Não era melhor continuar morto, nunca nascer? É tempo perdido vir para aqui!  Continuava-se a viver como morto e pronto! omessa! Que disparate!  Nascer na Terra para quê?  Qual é a finalidade afinal? Um gajo vem para aqui, só faz asneiras e depois tem de pagar?  Não era melhor se nunca cá pusesse os pés?  Não sofria nem fazia os outros penar! Estava resolvido! Omessa!  Omessa! Mas para que raio vivemos aqui pá?!!!  Eu só queria nem sequer existir! Quanto mais ter tido filhos, mulher, pais, cão, gato… é pá tanta coisa, e agora respondo por todas elas... é pá eu só queria não ter existido…

                     (e chora copiosamente, é assistido por dois irmãos que o abraçam demoradamente, 
                      orei com eles: aqui é uma casa de oração e auxilio fraterno, todos estamos a
                      aprender… -  expliquei mentalmente…)

Não sei o que fiz da minha vida... não sei… não fui nada, não fui ninguém… fugi da responsabilidade da vida… nem soube sequer viver para mim… não sei como perdi a fé e a vontade de viver, isolei-me… abandonei tudo e todos… não me lembro de ter sentido rancor… apenas desisti… desisti sobretudo de mim… poderia ter feito tanto… olhei apenas para a satisfação dos meus desejos… nas nem isso soube fazer… isolei-me… e agora nem me lembro bem das razões… sempre senti uma saudade imensa de algo que não sei explicar… e a isso me apeguei… nunca o atingindo, tudo o que vivi me sabia a pouco, e procurando cada vez mais experências… mais me perdi e cada vez mais longe me sentia daquela saudade, daquilo que não sei explicar o que é... um vazio que sempre me desgastou… mas onde perdi eu o conhecimento de que a vida continua, que nunca se morre?! Onde ?! quando?!  Não me lembro de me ter suicidado com qualquer acto grave, apenas desisti de viver….  foi o mesmo que me ter suicidado não foi?  Recusei-me a viver!...  é o mesmo!   Em vez de ajudar a família, ainda dei mais trabalho… vivi enlouquecido, fechado em mim atá ao dia de hoje… que é feito da minha família?  Guardo vaga memória, esposa, filhos, pais…  será desta vida ou de outra ou outras?  Vejo flashes de memórias, sinto-as como minhas, mas não as sei relacionar… porque me mostram agora tudo? Porque recordo agora o que perdi?!!  Meus Deus, como doi ver o tempo perdido… Meu Deus que fiz eu da minha Vida?!!

                (chora novamente, amargamente, baixinho… rossas lágrimas a cair…  Mais uma vez é                        abraçado por pelos Irmãos socorristas aqui presentes em permanente auxilio a todos que
                 aqui chegam)

Que me espera ainda, não posso parar de ver as tristes figuras que fiz? As vezes que não fui capaz de amar, de ajudar quem estava a meu lado, começando dentro da minha própria casa… isto sim é loucura, ver o que não fizemos e poderíamos ter feito…  por favor, já entendi… deixem-me descansar! Prefiro esquecer o que já fui!  Que eu possa recomeçar, só quero isso, recomeçar! Sem perder uma única oportunidade de fazer o que está certo! Viva eu o que viver, que eu nunca perca a força e o entendimento para fazer o que está certo… sem olhar a quem ou ao que for… não aguento mais ver o que fiz da minha vida, pára por favor, não quero ver mais nada… não posso crer o quanto desisti de mim mesmo… parem por favor, já entendi: não entendi nada de nada de Nada! Meus Deus Piedade!
Por Piedade, até um dia, com conhecimento e coragem para viver.

Um irmão.. não… ainda hei-de ser, hoje sou apenas um louco suicida, que desistiu de viver…
Piedade! Meu Deus!


                 (e seguiu amparado para o seu plano espiritual chorando, arrependido e pedindo nova 
                  oportunidade de Vida)