As mensagens que tenho recebido são lições de Amor e Humildade recebidas com respeito e fé como é ensinado na Doutrina Espirita. São apelos constantes à nossa consciência para que todos os dias façamos o nosso melhor, certos de que colheremos o que hoje plantarmos...
Cada um de nós é responsável pelo rumo da sua própria vida, no entanto, nunca estamos sozinhos, nossos Guias / Anjos da Guarda são queridos Amigos, Companheiros e Irmãos mais velhos a zelar por nós, sem nunca esquecer que o primeiro passo tem de ser o nosso...

Sou grata a Todos os que tocam a minha Vida, com todos aprendo... sejam eles que Quem forem... estejam eles Onde estiverem...
Consciente da minha pequenez, partilho-as convosco...

Este blog é uma produção independente, começou no final de 2014 e inclui também as mensagens recebidas desde 2007 por psicografia e psicodigitação desde Maio 2016 na AELA / Setúbal / Portugal - www.aela.pt / Facebook: AELA - Associação Espirita Luz e Amor.


30 de junho de 2016

Frei Bernardo: "Perdão" - 26.06.2016

Recebido na AELA a 26.06.2016



Bernardo
Com um abraço fraterno vos saúdo.

Perdão é a capacidade de entender que nesta Vida somos todos aprendizes, e muitas vezes, filhos ingratos...

Perdão é a Bênção que recebemos quando regressamos a Casa com o coração aberto e a alma lavada por lágrimas por tantas provas vividas com dor...

Perdão é o bálsamo para as nossas feridas espirituais, é a promessa de Esperança para uma vida mais harmoniosa e feliz.

Todos vivemos e reencarnamos tantas vezes quantas as necessárias até que nosso coração possa sentir a dor de nosso irmão e a nossa alma busque o auxilio no Alto para todos os que sofrem.

Perdoemos aos outros e sobretudo a nós próprios, todas as faltas cometidas.
Tenhamos a Fé de que um dia todos estaremos em Harmonia e Paz.
Até esse momento, oremos ao Pai por Entendimento e coragem para todos no nosso dia a dia.

Com um abraço Fraterno me despeço.


Irmã de Verdinho: "Nem só de pão vive o Homem" - 26.06.2016

Recebido na AELA a 26.06.2016

Boas noites, santas noites,
Minhas queridas, meus irmãos, é sempre momento de alegria vir ao vosso encontro.
Tantas lágrimas por aqui passam, tantas dores aqui se aliviam..."nem só de pão vive o Homem"... quantas vezes uma palavra, um abraço, um sorriso podem salvar uma vida...
Existe tanta solidão neste Mundo... existem tantas ilusões... rolam tantas lágrimas... tanta dor...

O Homem não entende que não deve fazer aos outros o que não gostava que lhe fizessem a ele... quantas provas dolorosas terá de enfrentar até que o entenda...

O Espírito ao reencarnar, "esquece" o seu passado para que o peso dos seus pecados não lhe toldem a capacidade de decidir na vida presente e desse modo, ter o mérito das suas lutas vencidas com amor. Cada vida é um novo recomeçar! Uma nova oportunidade para ser feliz!

O Espírito recorda todos os detalhes das suas vidas passadas, no entanto ao reencarnar, apenas guarda as tendências das suas vidas passadas, e isso, é o que vem trabalhar e corrigir em si mesmo, através das várias provas que terá de viver no seu programa reencarnatório.

Deus Pai, dai-nos a Bênção de aprender a amar incondicionalmente! Iluminai os nossos corações e fortalecei-nos com o Vosso Amor.

Uma irmã
ainda a aprender e viver e amar.


Testemunho: "Fui uma estátua..." - 26.06.2016



Recebido na AELA a 26.06.2016

Que fiz eu da minha vida? Que fiz eu da minha luz? E ás vezes pergunto-me se alguma vez eu tive alguma luz em mim... não recordo nenhum momento feliz... por isso devo de ter perdido a minha luz há muitíssimo tempo... lembro.me apenas de existir...apenas isso..nada de importante fiz... nem de mau... nem de bom... existi... apenas existi... como uma estátua na praça... ao vento e à chuva completamente indiferente a tudo e a todos... não reagi a nada... desisti de viver.. e se tento perceber qual a razão... não a encontro... mas à quanto tempo estou assim, neste neste estado estatizado? Cheguei a ver estátuas que anda dava abrigo aos pássaros, agora eu nem para isso servi... não revejo o meu corpo de forma palpável, já entendi que morri, já o percebi... mas não recordo por onde andei... quando morri,,, tenho estado neste hospital há algum tempo, não sei dizer quanto... ninguém me explicou directamente... mas ouvi o que diziam a muitos que por aqui têm passado... apenas ouvia... e ouvia... até que um dia pareceu que fazia sentido o que ouvia... estive caldo tanto tempo, que quando quis falar, parecia que nem o sabia fazer... chorei, chorei apenas... senti um abraço tão caloroso, senti calor, senti-me vivo... senti-me grato... chorei por gratidão, algo que não me lembro de ter feito em muito tempo que por aí existi...

Apenas recordo a consciência de estar vivo... mesmo não sabendo como viver...
Pedi para ditar estas palavras simples, provavelmente confusas... não pela sua importância literária, mas para mostrar até onde podemos descer quando desistimos de viver verdadeiramente... tornamo-nos estátuas de material... sem qualquer utilidade, empecilho para aqueles que se esforçam por viver e seguir em frente...

Àqueles a quem eu poderia ter ajudado e não fiz... perdão...
passarei novas provas em que precisarei eu de auxilio e não o receberei prontamente...
é justo que assim seja... chorarei de novo... mas desta vez, não desistirei, darei tudo o que tiver em mim para ser útil...

Peço a quem ler estas palavras: orem por mim... esperam-me dias de difícil aprendizagem...

Talvez,, até um dia! Se Deus quiser...
João Pedro, o Esquecido...




Palavras soltas: "A verdade da mentira" - 26.06.2016

Recebido na AELA a 26.06.2016

A verdade da mentira
Ou a mentira da verdade?

Em qualquer dos casos, existe sofrimento, existe dor...
Cada um de nós entende a Verdade segundo o seu entendimento e experiência.

É apenas um facto sentido por corações diferentes, por almas diferentes... com viveres diferentes ao longo dos tempos...


Um irmão,
a brincar com as palavras e as verdades da vida


Testemunho: "Existo apenas..." - 26.06.2016

Recebido na AELA a 26.06.2016


Eu queria amor, eu queria encontrar quem me amasse... eu queria ter sido feliz... e ter feito alguém feliz... senti-me vazia por dentro e por fora...

Não encontrei o sentido da vida e só agora começo a compreender o sentido da morte... se é que a morte existe... mas como poderia eu saber que a morte não existia... não ouvi isso a ninguém... apenas ouvia e acreditava que a morte era a solução para tudo, para todo o tipo de sofrimento... caramba que foi um susto ver que não me evaporei... nem podia acreditar... continuava a viver!!!...
Enforquei-me na oliveira do pátio da casa... perdi a noção do tempo faz muito tempo... acordei um dia, aqui... faço parte do grupo de loucos que aqui é recebido e colocado numa sala á espera até que acordemos... ninguém pergunta detalhes da vida seja a quem for... nada é bonito para se contar... só desgraças e vergonha, nada que valha a pena recordar... muita vergonha do triste papel que apresentamos... uma mão cheia de nada...


Preferimos o silêncio... procuramos quem nos abrace, quem nos afague a fonte como uma mãe, um irmão mais velho, um pai nos poderia ter feito... enfim ter sido parte de uma família ...desejamo-lo mas não temos coragem sequer de pedir seja o que for, nem de olhar nos olhos seja lá de quem for... melhor o silêncio...

Estamos sós nesta sala, mas não sentimos a solidão propriamente dita, algo nos reconforta sem sabermos bem o quê... creio que é o ambiente de boa vontade aqui gerado... de entre aqueles que por nós vão zelando - sim porque passeiam entre nossas camas, e sente-se uma suavidade a cair sobre nós... - não sei exprimir !... esperam que acordemos por nós... sem criticas, sem pressa... e de repente tocamos a mão de alguém que se demora um minuto ao pé de nós... é o nosso sinal desesperado por atenção... sempre sem palavras, em silencio, e no entanto, entendemos o que nos querem dizer... sentimos a calma... o amor... a boa vontade para connosco... observei longamente todo este despertar... até eu mesma conseguir reagir... estava empedernida... cristalizada... dormente... acho que nem com os meus próprios olhos eu via... seriam só os olhos do meu espírito? Já percebi que o corpo não é o mesmo que tinha... e um dia toquei eu o vestido, a roupa de alguém que passava... foi o meu sinal em que estava pronta para iniciar um novo ciclo da minha vida... Queria tanto sentir um abraço... queria sentir que estava entre vivos... que vivia de novo... deixei tanto por fazer... tanto... não sei o que fazer...deixo-me ir... estou calma e pronta para seguir em frente... aguardo que me levem, sei que será para um sitio onde trabalharei e mais tarde terei que vir à Terra... em condições mais difíceis do que aquelas que trouxe... Estou preocupada, mas não aflita... sente-se paz aqui...


Chegou a minha hora de seguir em frente... pois bem! Que assim seja!
Agradeço a todos os que cuidaram de mim, agradeço a todos os que oraram por mim! Agradeço a todos a quem abandonei e que mesmo assim, continuara a a rezar por mim.
Até um dia, em qualquer ponto da Vida!

Com verdadeiro amor me despeço,
Florinda
1932


28 de junho de 2016

Frei Bernardo: "Ser Médium implica responsabilidade"- 16.06.2016

Recebido na AELA a 16.06.2016

Bernardo
Com um abraço fraterno vos saúdo.
São tantos os que desejam ser médiuns ostensivos… esquecem no entanto que a mediunidade encerra em si mesma uma grande responsabilidade: “A quem muito foi dado, muito será pedido”…

Esta faculdade – em qualquer forma em que se manifeste (ouvir, ver, escrever… entre muitas mais), implica grande humildade e vontade de fazer apenas o Bem, isto se queremos ter uma experiência que nos ajude a evoluir.

Ser Médium é muito mais do que produzir efeitos para diversão. É um estado de alma, que nos leva a outros horizontes através do trabalho que desempenhamos.

Que Pai nos ajude a enfrentar todas as provas que nos chegam com carinho e tolerância.

Com um abraço fraterno me despeço. 



Ir. de Verdinho: "Somos poucos Obreiros" - 16.06,2016




Recebida na Aela a 16.06.2016


Boas noites, santas noites
Minhas queridas, meus irmãos, mais um encontro de trabalho fraterno. 
Todos os obreiros do Bem, são poucos perante o sofrimento que aumenta a cada dia em vários pontos do nosso planeta: Convosco sofremos, convosco aprendemos, convosco evoluímos.
Que o Amor do Pai a todos ilumine e dê Paz.

Uma irmã 
ainda a aprender a viver e a amar

26 de junho de 2016

Evangelho no Lar / Bernardo: "Compaixão" - 26.06.2016

Resultado de imagem para compaixão
Recebida depois da Oração Evangelho no Lar na nossa casa

Bernardo
Com abraço fraterno vos saúdo,

Compaixão, sempre o amor é e será o maior balsamo para todas as feridas da alma.
Este sentimento aproxima-nos dos outros com a docibilidade de uma mãe, de um pai olhando para um filho. Olha-se lentamente alguém que sofre e que é frágil nesse momento... ouve-se o seu coração, muito mais do que a sua voz... porque nem sempre exprimimos o que nos vai na alma..,

Compaixão, é o que precisamos ter por tudo o que nos rodeia, não o sentimento de pena gratuita, mas o verdadeiro interesse e vontade de ajudar, nem que seja com uma palavra de esperança sentida, um abraço caloroso, um aperto de mão forte...

Compaixão é amor em ação, é a verdadeira Vida a pulsar!

Com um abraço fraterno me despeço!



15 de junho de 2016

Para avó J - Guia António: "Um dia de cada vez!" - 08.05.2008

Recebido na AELA a 08.05.2008 e publicado na www,aela.pt a 29.03.2009

O guia daquela nossa irmã em trajecto de aprendizagem espiritual 

António
Minha querida J….! Quanto desespero!

Vive um dia de cada vez! Faz o teu melhor cada dia, um dia de cada vez!
Neste caminho de aprendizagem continua, todos erramos e todos aprendemos, todos evoluímos!
Entende a Vida como uma passagem nesta Terra! A Verdadeira Vida é perto do Pai! Aí sim, a felicidade é Eterna!
Devemos agradecer as Graças que recebemos do Pai com toda a humildade, como um voto de confiança! Devemos entender, aprender e aplicar tudo o que aprendemos, sempre com Amor no coração!
 Muitas flores querida!
Vive um dia de cada vez!



Ir. de Verdinho; "Ajudar" - 08.05.2008

Recebido na AELA a 08.05.2008 e publicada na www.aela,pt a 29.03.2009

Boas noites!
Queridos Irmãos, quanto Amor tendes!
Quanto Espírito de Sacrifício a favor de Vossos Irmãos!
Acreditai que Vossos esforços serão recompensados de forma que não imaginais!
Sede corajosos na caridade! Dai o Vosso melhor! Não Vos arrependereis!
Acreditai, que também Vós já haveis sido ajudados! É assim a Lei do Pai!: Somos Irmãos na Criação e Vida e nas Vidas!
Sempre com dever moral de nos entre ajudarmo-nos!
Ficai em Paz Queridos Irmãos! Estamos convosco!
Um Espírito de Amor Sempre a aprender a Amar!
Que o Pai sempre Vos ilumine!


11 de junho de 2016

Frei Bernardo: "Olhar para nós"... - 09.06.2016

Recebido na AELA a 09.06.2016 - 1a psicodigitação da sessão

Bernardo
Com um abraço fraterno vos saúdo.
Pela medida que usamos, seremos medidos!
Pelo modo como perdoamos, seremos perdoados!
Pela forma como amamos, seremos amados e auxiliados.

Esta Humanidade ainda julga mais depressa, do que auxilia! Ainda vê as falhas e pecados dos outros mais rapidamente, do que os seus próprios defeitos e necessidades de desenvolvimento. E quantas vezes, ao não conhecer o coração e razão de cada irmão, se age com dureza, sem compaixão pela dor alheia…  

Só o Pai sabe a razão de todas as provas que enfrentamos, umas são sobretudo expiação… contudo , tudo o que vivemos,é um exercício de compaixão através do qual devemos abraçar a Vida, a Fé e a coragem de viver e aprender, tornando-nos a cada dia, a cada Reencarnação melhores pessoas e Espíritos, mais evoluídos e felizes.


Com um abraço fraterno me despeço.


10 de junho de 2016

Ir, de Verdinho: "multiplicar o pão e o peixe..." - 09.06.2016

Recebido na AELA a 09.06.2011


Boas noites, santas noites,
Minhas queridas, meus irmãos com amor vimos ao vosso encontro.
Ficamos com os olhos razos de água por ver tantas dores entrelaçadas, encarnados e desencarnados se envolvem, se destroem pelo ódio, pelo egoísmo, pela obsessão, pelo desejo de vingança… gastam suas energias mutuamente…
Até quando procuramos mais a satisfação de nossos desejos do que atender ás nossas necessidades reais?

Quando é reconheceremos que a vida de nossos irmãos é tão importante como a nossa?
Mas quando é que entendemos que a felicidade dos outros está entrelaçada com a nossa? 

Na nossa solidão, ansiamos abarcar tudo o que nos rodeia… esquecemos no entanto, que é partilhando que se multiplica o pão, o peixe e a alegria…

Que o exemplo de Vida de nosso Mestre Jesus, nosso irmão Maior, nos Inspire e Guie sempre
.
Uma irmã

Ainda a aprender a viver e amar.




"Meu Deus, um abraço!... - 09.06.2016

Recebido a 09.06.2016 na AELA


Meu Deus, a minha cabeça… não sei que tenho… não consigo pensar… não tenho força… que faço aqui? Quem me trouxe? Só queria ser uma pedra… se não sei fazer melhor, pelo menos seria uma pedra onde alguém se pudesse descansar um bocadinho… já seria alguma coisa…  já daria o meu contributo para a ajuda de alguém… não tenho força… nada sou… só queria estar sossegado a um canto… mas que fiz eu da minha vida… vida? Eu tive alguma vida, eu?   Nem me lembro de nascer, quanto mais viver…  existo… apenas isso; existo!  Não me lembro de ter vivido, nem morrido… apenas me lembro de querer ser esta pedra negra e musguenta que sou hoje…   estou cansado de ser assim… quem me socorre?! Meu Deus! Não aguento mais esta condição de inurgumero…  como vim aqui parar?... Meu Deus!!!! Sim já chamos por Deus… acho que só agora me dei conta!!!
Já não aguento mais a vida vazia…
Hà quanto tempo estou assim neste estado, dormente… vazio… sozinho…  a implorar que nem o Sol me visse…  por medo talvez, ou vergonha? Ou os dois… ou não sei… estou cansado de estar sozinho… estou cansado… que fiz eu de mim mesmo?... que deixei que me fizessem?... em vez de viver, fugi… de todos e de mim, das minhas responsabilidades… não soube enfrentar o dia a dia… tanta tristeza… que lentamente me fui apagando até chegar aqui, como uma pedra, uma pequena pedra suja… mas mole, nem para pedra sirvo…

Quem me dá a mão? Quem tem coragem de me olhar? A quem agradeço estar aqui? Vou ficar melhor? Oiço-vos mas não vejo vosso lábios mexerem!!!
               
                   (a Entidade vê os irmãos espirituais e trabalhadores)

Um abraço, Meu Deus, um abraço!!!...

                   (chora agarrado aos irmãos de luz que o amparam)

Obrigado… OBRIGADO, do fundo da minha alma… estou vivo! Vivo de novo!   À quanto tempo eu esperava este abraço! Meu Deus! Obrigado! Não mereço, não mereço… Um abraço, um amigo, UM AMIGO! 

                  (Chora de novo e segue amparado para o seu plano espiritual)


                  Nota: este irmão foi mendigo toda a sua vida vivendo sempre sozinho, não conheceu
                            qualquer família.


Palavras soltas: "Risadas..." - 09.06.2016

Recebido na AELA a 09.06.2016

Risadas de alegria fria
Risadas de nervosismo
Risadas de troça
Risadas de medo

Tudo se mistura, quando falta o amor…

Aquele que é Iluminado, sorri gentilmente
Ao mendigo, ao rico, á criança e ao espirito que o visita
Aquele que é Iluminado, ama sem distinção
A pedra, a flor, o animal, o Homem e o anjo

Aquele que é Iluminado, aponta o caminho certo para a felicidade…

Um irmão

A brincar com as palavras e as verdades da Vida.




"Quem rezou por mim? - 09.06.2016

Recebido na AELA a 09.06.2016

É pá corri muito! Voei! Por aqui , por ali e não parei em lado nenhum, não criei raízes em lado nenhum, não me apeguei a nada…  comi, bebi… gozei até mais não… não sofri muito… também não fiz tanto mal assim…. Apenas queria satisfazer-me a mim… nunca obriguei ninguém a nada… só andava comigo quem queria… nunca prometi nada a ninguém…     hoje reconheço que isso não era viver verdadeiramente… morri um dia… assim de repente e nunca ninguém rezou por mim… não deixei saudades a ninguém…. 
Nem no dia do meu funeral apareceram aqueles que comigo farravam.. pouco mais do que o coveiro tinha e a senhora da mercearia que me guardava o pão… D. Justa,  acho que só a senhora me acarinhou sem querer nada em troca…  doce velhota sempre com uma palavrinha de mãe para mim, fizesse chuva ou sol… sempre lá tinha o meu pãozinho… e quantas vezes não paguei e ela não reclamou…
Olhando para trás… foi a única pessoa verdadeiramente boa que conheci… e estive com tanta gente, viajei tanto! Conheci tantas cidades, tantas culturas…   Encontrei mais assim como eu!  Isso sim, existem por todo o lado, entre os ricos e os pobres…   que tristes somos… queremos tanto que nos amem, que nos tomem nos braços, que nos oiçam, que nos afaguem, e no entanto usamos as pessoas como sacos descartáveis: retira-se o conteúdo que desejamos e o resto vai fora… era assim que eu tratava as pessoas…  como coisas descartáveis… e a que me levou isso? A uma estúpida vida de solidão, a uma morte de solidão, a uma fuga á realidade em solidão… a uma existência vazia…

Será que foi aquela velhinha da mercearia, a D. Justa, que pediu ajuda a Deus para mim?
Na minha cabeça apenas tenho a sua imagem a sorrir meigamente para mim… como pode ser de tanta gente que conheci, apenas a pessoa a quem eu dei menos valor, ser a única a rezar por mim? 
Nada lhe ofereci… nem paguei muitas vezes o que lhe devia… nem bom dia ás vezes dizia…
Como dói sentir que fui uma besta insensível…

Ajudem-me por favor! Estou cansado de ser tão imbecil…  Devo a esta senhora tudo! Devo-lhe a vida reconheço!
É seu amor a única coisa que me anima e me dá uma razão para viver.
Por favor, por Deus, ensinem-me, ajudem-me!  Quero ir ao encontro deste Anjo que se cruzou comigo! Espera-me?!!
Não sei se a conseguirei enfrentar sem cair de joelhos a chorar…
Seja! Pelo menos uma vez nesta Vida a fazer o que está certo! 

Até um dia, se poder ser, aqui a trabalhar também, a abraçar imbecis como eu… não há pior raça do que aquele que não se quer ver a si mesmo…


Inácio P.


Ir, Colaborador : "Portal" - 09.06.2016

Recebido na AELA  a 09.06.2016 - ultima mensagem da sessão.

Santas noites

A morte não é um fim, é um portal para nova etapa da nossa existência.
Connosco seguem as nossas virtudes, os nossos defeitos, os nossos amores e desamores…

É muito lentamente que nos burilamos, aperfeiçoamos, limamos… é preciso verdadeiro esforço e vontade para enfrentar a Vida. 
As provas, as dificuldades, as alegrias e as Bençãos que nos chegam fazem parte de todo o exercício reencarnatório que programámos para nós mesmos.

Saibamos aceitar com humildade a nossa condição de aprendizes, em qualquer espaço, tempo ou dimensão, e mais rápido alcançaremos a Harmonia nos Universos do Pai.

Um Irmão
Nos trabalhos, com humildade


8 de junho de 2016

Gabriel: "Revolta" - 08.05.2008

Psicografia recebida a 08-05-2008 na AELA e publicada a 29.03.2009 www.aela.pt

Gabriel
Quanta revolta sentis quando sentis Vosso corpo cansado!
Mas será que entendeis o que significa a bênção do trabalho?
Será que entendeis o que significa a bênção do trabalho?
Será que entendeis a Graça de chegar ao fim desta Vossa etapa com o sentimento
do dever cumprido? Verificar que conseguimos atingir os nossos objectivos com
sucesso!

Queridos Irmãos, a nossa revolta por vermos – tomar-mos consciência; de que
desperdiçamos tão caridosa oportunidade para chegar mais perto do Pai, mais
rapidamente…é muito doloroso!
Sentimos grandes remorsos e tristeza por tudo o que deixamos de fazer…Acreditai!
Vale a pena aproveitar todas as oportunidades que o Pai nos envia!
Praticai o Bem! Procurai a Caridade Fraterna, o Respeito por Tudo e por Todos!
Crescei! Crescei todos os dias um pouco!
Sede conscientes!
Num ambiente com tantas solicitações, esforçai-Vos por Vos manterdes dentro dos
verdadeiros Valores da Vida: Amor, Respeito, Caridade…

Acreditai que a Verdadeira felicidade é na Casa do Pai! E aí, meus Queridos Irmãos, a
felicidade é enorme e Eterna!
Fiquem em Paz. Estamos sempre a Vosso lado!
Amamos-Vos muito! Que o Amor do pai sempre Vos fortaleça! Fiquem em Paz!
Muitas flores para todos!