As mensagens que tenho recebido são lições de Amor e Humildade recebidas com respeito e fé como é ensinado na Doutrina Espirita. São apelos constantes à nossa consciência para que todos os dias façamos o nosso melhor, certos de que colheremos o que hoje plantarmos...
Cada um de nós é responsável pelo rumo da sua própria vida, no entanto, nunca estamos sozinhos, nossos Guias / Anjos da Guarda são queridos Amigos, Companheiros e Irmãos mais velhos a zelar por nós, sem nunca esquecer que o primeiro passo tem de ser o nosso...

Sou grata a Todos os que tocam a minha Vida, com todos aprendo... sejam eles que Quem forem... estejam eles Onde estiverem...
Consciente da minha pequenez, partilho-as convosco...

Este blog é uma produção independente, começou no final de 2014 e inclui também as mensagens recebidas desde 2007 por psicografia e psicodigitação desde Maio 2016 na AELA / Setúbal / Portugal - www.aela.pt / Facebook: AELA - Associação Espirita Luz e Amor.


Conselho Prático

10 de junho de 2016

"Quem rezou por mim? - 09.06.2016

Recebido na AELA a 09.06.2016

É pá corri muito! Voei! Por aqui , por ali e não parei em lado nenhum, não criei raízes em lado nenhum, não me apeguei a nada…  comi, bebi… gozei até mais não… não sofri muito… também não fiz tanto mal assim…. Apenas queria satisfazer-me a mim… nunca obriguei ninguém a nada… só andava comigo quem queria… nunca prometi nada a ninguém…     hoje reconheço que isso não era viver verdadeiramente… morri um dia… assim de repente e nunca ninguém rezou por mim… não deixei saudades a ninguém…. 
Nem no dia do meu funeral apareceram aqueles que comigo farravam.. pouco mais do que o coveiro tinha e a senhora da mercearia que me guardava o pão… D. Justa,  acho que só a senhora me acarinhou sem querer nada em troca…  doce velhota sempre com uma palavrinha de mãe para mim, fizesse chuva ou sol… sempre lá tinha o meu pãozinho… e quantas vezes não paguei e ela não reclamou…
Olhando para trás… foi a única pessoa verdadeiramente boa que conheci… e estive com tanta gente, viajei tanto! Conheci tantas cidades, tantas culturas…   Encontrei mais assim como eu!  Isso sim, existem por todo o lado, entre os ricos e os pobres…   que tristes somos… queremos tanto que nos amem, que nos tomem nos braços, que nos oiçam, que nos afaguem, e no entanto usamos as pessoas como sacos descartáveis: retira-se o conteúdo que desejamos e o resto vai fora… era assim que eu tratava as pessoas…  como coisas descartáveis… e a que me levou isso? A uma estúpida vida de solidão, a uma morte de solidão, a uma fuga á realidade em solidão… a uma existência vazia…

Será que foi aquela velhinha da mercearia, a D. Justa, que pediu ajuda a Deus para mim?
Na minha cabeça apenas tenho a sua imagem a sorrir meigamente para mim… como pode ser de tanta gente que conheci, apenas a pessoa a quem eu dei menos valor, ser a única a rezar por mim? 
Nada lhe ofereci… nem paguei muitas vezes o que lhe devia… nem bom dia ás vezes dizia…
Como dói sentir que fui uma besta insensível…

Ajudem-me por favor! Estou cansado de ser tão imbecil…  Devo a esta senhora tudo! Devo-lhe a vida reconheço!
É seu amor a única coisa que me anima e me dá uma razão para viver.
Por favor, por Deus, ensinem-me, ajudem-me!  Quero ir ao encontro deste Anjo que se cruzou comigo! Espera-me?!!
Não sei se a conseguirei enfrentar sem cair de joelhos a chorar…
Seja! Pelo menos uma vez nesta Vida a fazer o que está certo! 

Até um dia, se poder ser, aqui a trabalhar também, a abraçar imbecis como eu… não há pior raça do que aquele que não se quer ver a si mesmo…


Inácio P.