As mensagens que tenho recebido são lições de Amor e Humildade recebidas com respeito e fé como é ensinado na Doutrina Espirita. São apelos constantes à nossa consciência para que todos os dias façamos o nosso melhor, certos de que colheremos o que hoje plantarmos...
Cada um de nós é responsável pelo rumo da sua própria vida, no entanto, nunca estamos sozinhos, nossos Guias / Anjos da Guarda são queridos Amigos, Companheiros e Irmãos mais velhos a zelar por nós, sem nunca esquecer que o primeiro passo tem de ser o nosso...

Sou grata a Todos os que tocam a minha Vida, com todos aprendo... sejam eles que Quem forem... estejam eles Onde estiverem...
Consciente da minha pequenez, partilho-as convosco...

Este blog é uma produção independente, começou no final de 2014 e inclui também as mensagens recebidas desde 2007 por psicografia e psicodigitação desde Maio 2016 na AELA / Setúbal / Portugal - www.aela.pt / Facebook: AELA - Associação Espirita Luz e Amor.


Conselho Prático

25 de dezembro de 2016

Testemunho de arrependimento: "Fui Seminarista..." - 03.11.2016

Psicodigitação recebida na AELA a 03.11.2016


Olha isso é que era giro! Um gajo pá, ia para padre ou frade, ou elas para freiras, e bum! Viravam santos!  Era bom era!  Ouve-se cá com cada coisa!  Olha só o que se tem visto e ouvido! São como os outros!  Nem piores bem melhores, como os outros!!  Todos os que se dizem Homens de Deus, ou Mulheres, não passam muitas vezes de actores para si próprios…  Não é o viver num convento que nos faz grandes, a ler, a repetir orações que só saem da boca…  é preciso dar-se verdadeiramente! Sem olhar a quem! Mais do que a clausura, é no encontro uns com os outros, com humildade, que temos a oportunidade de ensinar e de aprender… de sentir a dor do mendigo e de aprender a ter compaixão… quantas vezes um sorriso, um aperto de mão é o que mais precisam para se sentirem gente, muito mais do que pão para a barriga – e isso está ao alcance de cada um de nós… 

Imagem relacionada
Falo infelizmente com conhecimento de causa, fui um desses malandros que quis fugir á vida… tornei-me religioso para fugir ás ordens dos meus pais… era nobre ser religioso!  E assim desde muito novo me fechei num mosteiro, mas sempre a pensar no mundo lá fora… meus lábios cantavam os salmos, mas o meu pensamento estava bem longe dos muros que me rodeavam…  morri jovem, definhei doente com a vergonha (e medo) de não ter tido coragem para enfrentar meus pais…  comodismo, preguiça… hoje lamento não ter sido mais honesto comigo mesmo…  de desta insatisfação apenas resultou amargura e profunda tristeza, verdadeira incapacidade de estender a mão fosse a quem fosse… reconhecendo isto e o sentir-me preso… foi retirando-me toda alegria de viver… morri com 27 anos… sozinho, num cubículo, onde por humildade dizemos quarto…  Levei muitos anos até chegar aqui… deambulei por aí… quis conhecer mundo… e com lágrimas digo, encontrei muitos como eu!!  Dentro e fora dos mosteiros…  Somos todos iguais: actores! Sobretudo para nós próprios!  No fundo sabemos o que está certo e o que está errado, mas acabamos por escolher o que dá menos trabalho, o que na nossa ideia, é o mais conveniente… Louca ilusão!  Um dia nos será pedido conta de todo o Bem que poderíamos ter feito e não fizemos!  Se calhar ficamos a dever mais por isso, do que tentar fazer a coisa certa e falhar…  

Hoje sinto sobretudo revolta contra mim mesmo, fui fraco, fui inconsciente… fugir nunca é solução para nada… mais tarde chora-se amargamente o acto de fugir às nossas responsabilidades… 

Nem padre cheguei a ser! Não cheguei a fazer nada da vida nem tão pouco naquilo para onde fui – de algum modo, poderia ter fugido dos frades como muitos outros o fizeram, e se agarraram á vida!  Fui comodista… e infeliz com isso até ao dia de hoje…

Existem tantos homens e mulheres como eu! Tantos jovens que se acomodam á sombra dos adultos, nunca chegam verdadeiramente a ser gente! Tornam-se falhados como eu…   Tantos jovens sem rumo… tantos adultos frustrados…encontrei-os em todo o lado… morrem ainda em vida como eu… Esquecem que viver é ter força, coragem, Fé e vontade de fazer o que está certo! 

Deixo estas palavras, este desabafo… já “acordei”… tarde! Mas estou mais consciente e mais desiludido comigo mesmo… tive muito tempo para rezar mas não me serviu de nada… foi ler sem sentido, apenas a boca se mexia… levei tempo a entender o que lia..  e ainda mais a aplicar os ensinamentos e conselhos que lia…

É duro chegar aqui com as mãos vazias… apenas a consciência de que tenho de fazer o melhor daqui para a frente…  desperdicei muitas oportunidades de ser útil…  esperam-me dias difíceis, já entendi…  desistir de viver em vida, é também uma forma de suicídio… foi o que eu fiz…  pagarei caro a minha insensatez…  Provavelmente um dia quererei viver e morro andes de viver a sério…  seria justo, já que agora desperdicei a oportunidade que me foi dada.. 

ÓH, Deus! Sou reconhecido por mais esta oportunidade! Lamento nada ter feito…

Espero um dia tornar-me obreiro do Bem e merecer a oportunidade de poder vir aqui ajudar, ajudar tolos como eu!

Até um dia, se Deus mo permitir! 

José, 27 anos
Seminarista