As mensagens que tenho recebido são lições de Amor e Humildade recebidas com respeito e fé como é ensinado na Doutrina Espirita. São apelos constantes à nossa consciência para que todos os dias façamos o nosso melhor, certos de que colheremos o que hoje plantarmos...
Cada um de nós é responsável pelo rumo da sua própria vida, no entanto, nunca estamos sozinhos, nossos Guias / Anjos da Guarda são queridos Amigos, Companheiros e Irmãos mais velhos a zelar por nós, sem nunca esquecer que o primeiro passo tem de ser o nosso...

Sou grata a Todos os que tocam a minha Vida, com todos aprendo... sejam eles que Quem forem... estejam eles Onde estiverem...
Consciente da minha pequenez, partilho-as convosco...

Este blog é uma produção independente, começou no final de 2014 e inclui também as mensagens recebidas desde 2007 por psicografia e psicodigitação desde Maio 2016 na AELA / Setúbal / Portugal - www.aela.pt / Facebook: AELA - Associação Espirita Luz e Amor.


22 de janeiro de 2017

Testemunho:"Sentia frio, sentia calor..." - 19.01.2017

Psicodigitação recebida na Aela a 19.01.2017. Durante a tarde fui a uma consulta médica num hospital.


Sentia frio, sentia calor, ora ria até não conseguir respirar ora chorava até sufocar… um dia sem me aperceber o quê exactamente… algo mudou… - hoje já percebi: tinha morrido!

Não entendi porque não me respondiam, porque tinha fome e não conseguia comer… porque via, porque falava ainda que não me ouvissem…não entendi nem o como nem o quando… foi assim tão simples que, quando me apercebi de que algo se tinha passado… tinha-me tornado aquilo de que sempre fugira: era um fantasma! Uma alma penada!

Sempre fantasiei sobre o momento da minha morte, apesar de não ter acreditado em nada, gostava de ler livros sobre o assunto, vi algumas teorias, opiniões, correntes de pensamento… era como que uma diversão para mim, embora nunca o tivesse verdadeiramente aceitado na minha consciência.. Para dizer a verdade, com a boca negava, com o coração… ia dando o beneficio da duvida…  Não faz sentido o que digo…

Porque se lê tanta coisa, se fala de anjos, de musica celeste, de campos luminosos e verdejantes, da bola de luz….   Não vi nada e morri quase sem me aperceber… esperava para essa ocasião, todo o mundo de coisas especiais… nada! Foi tudo muito pacifico… sem sobressaltos… nem me apercebi! Essa é a verdade!

Olhando para trás, gostava mais de ter falado com alguém, do que andar a fazer pesquisas apenas por mim próprio, juntei ás minhas fantasias, aquelas que lia!... Muito se fantasia sobre a morte! E contudo é uma coisa bem natural…

Resultado de imagem para sentir frio e calor ao mesmo tempo
Hoje, já sei, já me explicaram: uma morte em paz ou em sofrimento, depende muito do nosso merecimento. Assim como ver os familiares que podem vir ao nosso encontro, ver anjos, ver luz… tudo é possível e natural. Quanto mais sabemos sobre o momento, mais nos preparamos e entendemos que se levar-mos uma vida justa, mais hipóteses temos de ter um momento de partida também justo e calmo… Claro, no reverso, “se matas a ferro, a ferro morres…” – hoje compreendo…

Não fui bom nem mau..  andei por cá… apenas isso...  ficou-me a lição:  ver os outros a viver e fingir que vivemos, não dá direito  a uma morte com benesses… leva-te a teres de acordar por ti!

Enfim, não tenho grandes coisas para contar, apenas quis deixar o meu desabafo.. se calhar o meu alerta, pode “acordar” alguém…

Agradeço aos que me acolheram – os Socorrista da Luz - esclareceram e neste momento me aguardam. Sigo com um grupo para um local de estudo e preparação para nova vida…

Talvez um dia possa eu ajudar alguém em iguais ou piores condições…
Sou grato a Deus pela assistência recebida, mesmo sem a merecer… reconheço!

Até um dia, espero!
Francisco P., 58 anos, Lisboa.