As mensagens que tenho recebido são lições de Amor e Humildade recebidas com respeito e fé como é ensinado na Doutrina Espirita. São apelos constantes à nossa consciência para que todos os dias façamos o nosso melhor, certos de que colheremos o que hoje plantarmos...
Cada um de nós é responsável pelo rumo da sua própria vida, no entanto, nunca estamos sozinhos, nossos Guias / Anjos da Guarda são queridos Amigos, Companheiros e Irmãos mais velhos a zelar por nós, sem nunca esquecer que o primeiro passo tem de ser o nosso...

Sou grata a Todos os que tocam a minha Vida, com todos aprendo... sejam eles que Quem forem... estejam eles Onde estiverem...
Consciente da minha pequenez, partilho-as convosco...

Este blog é uma produção independente, começou no final de 2014 e inclui também as mensagens recebidas desde 2007 por psicografia e psicodigitação desde Maio 2016 na AELA / Setúbal / Portugal - www.aela.pt / Facebook: AELA - Associação Espirita Luz e Amor.


9 de janeiro de 2017

"Isto é rezar? " - 05.01.2017

Psicodigitação recebida na AELA a 05.01.2016


Se rezo pá, não sei! Rezar é falar com Deus, então rezo apenas á minha maneira… mas porque me dizem que tenho de comprar uma “bíblia” ou coisa parecida, blá blá bla…  eu sei lá o que querem dizer com isso…  eu entendo lá as balelas retorcidas que lá escrevem…  folhas e folhas de nada… porque não simplificam apenas o que Deus nos quer dizer? O que espera de nós?   Por acaso a vida de hoje é parecida à de há 2.000 anos?  Se vivemos numa era de simplificar e esclarecer as coisas, porque se complica? Porque se quer dominar pelo medo, pela manipulação? Mas que religião afasta mais os crentes de Deus do que os aproxima?...  mas que Mundo louco temos!!!   Não entendo…   até que parece que os 2 mil anos que já se passaram, afinal não passaram… o Homem continua egoísta, mau, seco…  tanta miséria espalhada no Mundo…   e ainda me dizem: para rezares precisa de um livro!!! Mas qual quê? Já fui a muitas igrejas, a muitos salões, reuniões, em muitos países, em muitos terreiros…   muitos falam de Deus Baixando a cabeça, mas poucos o sentem no coração, muitas vezes não passa de negócio, de fachada, de desfile de vaidades…

Resultado de imagem para pombas da paz

O Verdadeiro Deus em que eu acredito, não precisa de palavras complicadas… se calhar nem de palavras propriamente ditas… basta sentir-se grato… basta admirar a beleza do sol, o verde da erva, o canto da gaivota… 

Fico indignado com o chorrilho de palavras altas que são ditas… isso é rezar?

Não o posso admitir… rezar é religar com Deus, com o nosso mais intimo querer, é uma relação de amor fraterno, sem qualquer outro interesse envolvido, que não seja o amor de um pai pelo seu filho…  

Um dia perguntaram-me: como se chama o teu Deus? Rezas ao teu Deus? Na altura fiquei indignado… achei que não queriam verdadeiramente saber… apenas criticar, porque não rezava com o mesmo aparato…  não quis discutir; saudei , desejei paz e afastei-me pensativo… mas porque necessita o Homem de se mostrar superior em tudo? Falar com Deus, Rezar a Deus, é algo da própria alma, do próprio espirito… é uma ligação bela, delicada e preciosa…

Podemos honrar a Deus em conjunto, porem, a verdadeira comunhão, a verdadeira partilha onde recebemos inspiração e auxilio é feita no silêncio, no nosso próprio silencio… e raramente nos entregamos com confiança a Deus, temos medo, duvidamos muitas vezes até de nós próprios… competimos connosco mesmos…  já vi tantas relações com Deus… tantas orações, tantas manifestações de fé… e muitas poucas encontrei como sinceras, verdadeiras…

Rezamos a Deus com menos palavras e mais acções… rezamos a Deus quando auxiliamos o animal ferido... o velho abandonado… a criança a chorar… 

Rezamos a Deus ao dizer muito simplesmente: obrigado pela Vida! Obrigada pela Luz do Sol!...

Mas porque teimamos em complicar? Óh Deus, se sei rezar? Sei ver a Vida que me rodeia!!! Reconheço a beleza da Creação de Deus! Não foi o Homem que criou o Sol! A Chuva! Que mais provas necessito de que Deus existe?!

Se sei rezar?  Sei dizer obrigado, consigo ser grato por tudo o que tenho, apesar das lágrimas que ás vezes me caem pela cara…  Também por elas sou agradecido, sem elas não conseguiria admirar a vida, a Verdadeira Vida que me rodeia, e a Vida que tenho em mim mesmo…


Um irmão

Viajor, viajante…  ou muito simplesmente: um aprendiz da Vida com cajado! E com muito mais ainda para andar..