As mensagens que tenho recebido são lições de Amor e Humildade recebidas com respeito e fé como é ensinado na Doutrina Espirita. São apelos constantes à nossa consciência para que todos os dias façamos o nosso melhor, certos de que colheremos o que hoje plantarmos...
Cada um de nós é responsável pelo rumo da sua própria vida, no entanto, nunca estamos sozinhos, nossos Guias / Anjos da Guarda são queridos Amigos, Companheiros e Irmãos mais velhos a zelar por nós, sem nunca esquecer que o primeiro passo tem de ser o nosso...

Sou grata a Todos os que tocam a minha Vida, com todos aprendo... sejam eles que Quem forem... estejam eles Onde estiverem...
Consciente da minha pequenez, partilho-as convosco...

Este blog é uma produção independente, começou no final de 2014 e inclui também as mensagens recebidas desde 2007 por psicografia e psicodigitação desde Maio 2016 na AELA / Setúbal / Portugal - www.aela.pt / Facebook: AELA - Associação Espirita Luz e Amor.


5 de abril de 2017

Testemunho de "Marialva" de Lisboa - 16.03.2017

Psicodigitação recebida na sessaão da AELA a 16.03.2017.

Nota: "Marialava" significa : homem mulherengo e sempre em festas com bebida

Resultado de imagem para bon vivant

Já li tantos livros, tantos tratados, tantos ensaios e teses… se me ensinaram alguma coisa?.... não sei bem... pelo menos não me ensinaram o mais importante: como viver? É nisso que agora penso… sempre vivi com um livro debaixo do braço e à minha cabeceira… de dia e de noite lia livros… teoria… teoria, teoria! Mas em nenhum, ou poucos li de uma forma clara, que me dissessem: esquece o teu orgulho e estende a mão a quem dela precisar! Muitas insinuações, muito palavreado colorido e fino, mas nada de verdades nuas e cruas! 

Cada um é responsável pelo que fáz e pronto! Coitadinho por isto, por aquilo! Coitadinho nada! Plantas rosas, colhes rosas, e mesmo essas, para as receberes, tens de ter cuidado com os espinhos! E são esses picos que te fazem valorizar as belas rosas. Se não te esforçares para conseguires o que queres, atingires os teus objectivos e desejos, nunca saberás o que é a alegria da conquista por mérito próprio! A satisfação de se sentir pleno por ter lutado e vencido, ter aprendido algo mais do que apenas comer, dormir e respirar. Se pensar que em novo nada disso vale a pena, que consegues comer e dormir de graça e isso chega…. Ledo engano, quando chegamos aqui, depois de morrer no corpo, sentimo-nos vazios… envergonhados… reconhecemos que perdemos muito tempo com imbecilidades… que valorizámos mais as ações dos outros do que as nossas mesmas… que tolice! E no fim, só agora reconheço… que desperdício… que tolice… foi isso mesmo, fui um tolo… sempre os outros estavam mal e eu bem! Só eu fazias as coisas correctas!!! Pois, pois… ilusões e manias de esperteza! Era como os outros, tão burro como os outros; a mesma falta de sensibilidade, a mesma falta de humildade… e assim aqui chego, de mãos vazias… de alma vazia…
Um analfabeto trabalhador, humilde e caridoso, é aqui um rei e eu… um nada… a seus pés me ajoelho hoje a pedir que me ensine a amar! Sim, chego á conclusão muito triste: não aprendi a amar
fraternamente. Não é o amor com mulheres ou homens com sensualidade, esse muito amor não é nada, não é amor verdadeiro, é divertimento… como fui um louco… acho que fundo sabia que estava a proceder mal, mas não quis saber… era bom o prazer naquele momento, mas depois ficava de novo o vazio e o sentimento de vida vazia e sem sentido… continuava a procurar nos livros o sentido para a minha vida… e nada do que lia que inspirava realmente… aprendi a falar bem, de forma requintada, escrever na perfeição… mas também isso não me satisfazia ou aclamava o meu desassossego interior… aquela vozinha fininha dentro de mim que me sussurrava e apelava para mudar de atitude… Mas facilmente a abafava, um copo de whisky, uma musica alta, boas gargalhadas… boa companhia…

Resultado de imagem para pessoa humildeMeu Deus, uma vergonha… nada, nada fiz para que merecesse ter paz agora…
Quis “confessar-me”… desabafar pela minha vida de verdadeira imbecilidade e ignorância…
Quis deixar um ultimo acto de boa vontade; contar a minha história de ilusão, para que se alguém se revê neste padrão de irresponsabilidade, saiba também o que o espera… uma vergonha sem fim, um vazio sem fim…. Uma vergonha sem fim por ter perdido todo este tempo…


                                                                                        Agradeço teres recebido a minha história triste… de coração te agradeço!
Quem sabe se um dia nos reencontramos!
Deus Pai, estou pronto, de coração me entrego nas vossas mãos, seja feita a vossa vontade!


Arlindo
42 anos – Marialva de Lisboa